De acordo com a rede BBC, astrônomos utilizando o Telescópio Espacial Kepler, da NASA, descobriram um objeto que pode ser confirmado como a primeira lua já localizada fora do Sistema Solar. Uma vez que os planetas encontrados ao redor de outras estrelas são chamados de exoplanetas, satélites naturais extrassolares recebem o nome de "exoluas", ou "exomoons" na terminologia em inglês.

Com o intuito de obter mais informações a respeito da nova descoberta e atestar a real natureza do corpo celeste, os cientistas pretendem realizar mais observações em outubro com o Hubble – outro telescópio, também de propriedade da agência espacial americana.

Publicidade
Publicidade

O provável satélite orbita o planeta Kepler-1625b, do mesmo porte de Júpiter só que 10 vezes mais massivo, e que se encontra a quatro mil anos-luz de distância da Terra. Se, de fato, o novo objeto (identificado como Kepler-1625b I) for uma lua, apresenta dimensões surpreendentes, já que possui praticamente o mesmo tamanho de Netuno, e acredita-se que ele tenha sido “capturado” pela gravidade do exoplaneta que orbita.

Localizando mundos e luas distantes

Até o momento, mais de três mil exoplanetas já foram encontrados pelos pesquisadores, mas as exoluas ainda escapam das detecções devido às limitações técnicas existentes na atualidade.

Para localizar mundos ao redor de outros sóis, astrônomos usam um método conhecido como "transito", que consiste em observar a luz das estrelas e procurar por pequenas diminuições em seu brilho, o que indica que um corpo celeste de menor dimensão – um exoplaneta – está passando pela sua frente e causando a redução da luminosidade recebida pelo telescópio utilizado nesta tarefa.

Publicidade

Encontrar exoluas é uma tarefa mais difícil, uma vez que os cientistas precisam detectar ínfimas variações na luz depois que o planeta já causou a redução do brilho da estrela à qual orbita, e foi exatamente isso o que os pesquisadores conseguiram perceber após observarem três trânsitos consecutivos do provável satélite.

No entanto, esta quantidade de trânsitos ainda não é suficiente para que os pesquisadores possam afirmar sem sombra de dúvida de que se trata mesmo de uma lua orbitando um exoplaneta além do Sistema Solar.

Segundo a BBC, o Dr. David Kipping, professor assistente de astronomia da Universidade de Columbia, localizada em Nova York, passou "a maior parte de sua vida adulta" procurando por exoluas, e acredita que a probabilidade de confirmação de Kepler-1625b I como sendo um objeto deste tipo é alta. Mesmo assim ele pediu cautela, afirmando que as medições do Hubble precisam ser feitas para atestar a descoberta. #Curiosidades #EUA #Ciência