Uma inovação na indústria de artigos sexuais vem conquistando uma série de novos adeptos. As pílulas brilhantes de glitter, vem fazendo a cabeça dos casais que adoram apimentar e 'abrilhantar' a relação.

De acordo com informações divulgadas pelo jornal britânico 'The Independent', a última febre nos sex shop do Reino Unido é o uso de uma pílula de glitter minutos antes do início da relação sexual. A pílula, bastante parecida com um comprimido comum, tem como função e objetivo espalhar purpurina durante a relação. A ideia de transformar o momento e a performance do casal em um momento mágico e brilhante, pode parecer inofensivo, porém tende a render diversas infecções no corpo e região íntima, alertam os ginecologistas.

Publicidade
Publicidade

Vendidas por toda a Europa e recém chegadas às Américas com o nome de 'Passion Dust', traduzido para o português como 'poeira da paixão', as pílulas brilhantes são fabricadas e comercializadas pela empresa Pretty Woman Inc. No site da marca, um texto explicativo informa aos clientes e consumidores, que as pílulas servem exclusivamente para 'divertir o casal' durante a intimidade e que o produto, além de dar brilho, fornece um aroma doce, remetendo a perfumes de flores e frutas ao órgão sexual quando aplicadas. A empresa fabricante do produto defende ainda que o glitter é inofensivo à saúde e que o mesmo pode ser ingerido durante o ato.

Em uma tentativa de lucrar e convencer os clientes em potencial de que o produto em nada pode prejudicar a saúde dos usuários, a Pretty Woman Inc expõe em seu site uma nota que visa convencer os interessados em utilizar a 'Passion Dust', que a pílula não causará dano à saúde íntima.

Publicidade

No site é possível ler: ''Todos os médicos, principalmente ginecologistas irão dizer que NADA deve ser inserido na região vaginal. Se você alguma vez já sofreu com problemas na região íntima, você provavelmente as teve antes de fazer uso da 'Passion Dust'. Por isso ressaltamos se por ventura você já teve algum tipo de infecção, temos certeza de que não foi por causa do glitter. Vale lembrar que isso apenas acontece algumas vezes''.

Entrevistada pelo tabloide britânico 'The Independent', a ginecologista Shazia Malik reforçou que o risco de contrair uma série de complicações e doenças graves por conta do produto existe. Segundo a especialista, 'produtos íntimos' como pílulas de glitter, podem causar diversas infecções e até mesmo alterar o pH da secreção vaginal, colaborando para o aparecimento de bactérias maléficas e fungos, gerando inflamações na região íntima e causando dor durante a relação sexual. #pílula de glitter #artigos relação íntima