O Brasil já é o líder de cirurgias na vagina e o que chama a atenção nestes números é a grande quantidade de meninas virgens que estão procurando pelo procedimento. Todos sabem que as vaginas têm os mais variados formatos, sem contar as características da cor, textura da pele, tamanho dos lábios e volume O que vem acontecendo é que o mercado estético está querendo padronizar o formato ideal para a vagina e as meninas, cada vez mais vaidosas, querem atingir essa meta.

No ano passado, cerca de 25 mulheres passaram por cirurgias estéticas para deixar a vagina o mais próximo possível do modelo dito como 'padrão'. Este número é o dobro do que foi registrado em 2015 e, para este ano, espera-se um novo recorde na procura do procedimento, de acordo com a Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica.

Publicidade
Publicidade

Em todo o mundo, o Brasil é o número 1 em cirurgias íntimas e a grande maioria das cirurgias são simplesmente estéticas, principalmente por descontentamento com a anatomia dos lábios. Outro motivo que leva as meninas a procurar a #cirurgia íntima é o tamanho da vulva, pois elas estão cada vez mais insatisfeitas com o visual.

Hoje em dia, a #Mulher já olha bem mais para sua genitália, observa-se na frente do espelho e, principalmente, se compara com outras mulheres, principalmente às modelos. Com isto, elas vão criando expectativa e ajudam a fortalecer este 'padrão de #Beleza'.

Muitas meninas, ainda virgens, procuram pela cirurgia antes de se aventurar em sua primeira experiência sexual e os motivos são os mais variados. Boa parte delas têm medo de decepcionar o companheiro na hora da intimidade.

Publicidade

Outra questão que não pode ficar de fora é que a mídia vem abordando este tema com muito mais liberdade, tanto na TV como também nos grandes portais na internet. Muitas vezes, as reportagens acabam passando a ideia de que existe a vagina perfeita e quem não tiver a sua naquele formato, precisa buscar ajuda médica.

Outro ponto interessante é que as garotas que passam por esta cirurgia íntima e ficam com a vagina exatamente como gostariam se mostram contentes, seguras e isto acaba contagiando suas amigas que acabam tendo o mesmo desejo despertado e vão à procura do procedimento.

Especialistas recomendam que a cirurgia seja feita somente após os 18 anos, quando o corpo da menina já está formado. O ideal, contudo, é esperar até os 25 anos para a tomada da decisão consciente. Aquelas que escolhem 'mudar' o formato da vagina são cada vez mais jovens e os pais devem ajudar as filhas com diálogo e fornecendo informações verdadeiras, além de procurar por profissionais realmente capacitados.