Publicidade
Publicidade

Algumas mulheres não gostam de falar sobre #sexo, pois esse é um tema ainda visto como tabu pela sociedade. No entanto, essa temática está totalmente ligada à saúde e não faltam especialistas que cuidam do bem-estar da mulher.

O que muitas representantes do gênero feminino não sabem é que alguns atos na relação íntima podem trazer situações indesejadas, como doenças sexualmente transmissíveis, as DSTs. O ‘’Bem Estar’’, da TV Globo, decidiu debater nesse tema em plena manhã na televisão e acabou ajudando muita gente a esclarecer muitas dúvidas. Alguns especialistas foram ouvidos e deram sua posição sobre coisas que não devem ser feitas após o ato sexual.

Publicidade

Conheça as coisas que não devem ser feitas após a relação sexual

Um dos entrevistados do programa da Rede Globo de Televisão foi o ginecologista José Bento. Ele disse que é importante que as mulheres percam uma mania ruim, que é a de prender a urina após o ato íntimo. Isso ocorre pelos mais variados motivos possíveis.

Algumas vezes, elas simplesmente têm preguiça de deixar a cama. Em outras oportunidades, as mulheres acabam ficando com medo de desapontarem os companheiros. A mesma tese foi compartilhada pelo urologista Leonardo Lima, que ainda explicou que a uretra feminina é muito menor do que a do homem.

Elas costumam ter menos de 7 cm entre a entrada vaginal e a bexiga. Essa área no homem costuma ser bem maior, já que o órgão genital masculino se estende para fora do corpo. Essa condição propicia a eles menos chances de pegar uma infecção urinária, por exemplo.

Publicidade

Além disso, quando se urina, se utiliza um sistema natural do nosso corpo de lavagem. É ele quem vai ajudar a livrar a uretra de bactérias indesejáveis. Ao evitar o xixi, a mulher acaba fazendo com que os organismos maliciosos tenham mais oportunidade de entrarem em seu sistema urinário e reprodutor, atingindo órgãos como a bexiga. Em alguns casos, as doenças transmissíveis graças a esse ato são capazes até de deixarem a mulher estéril.

Cuidados também para não pegar a candidíase

Uma outra doença sexual comum é a candidíase. O que muita gente não sabe é que é possível contrair o mal apenas por conta do uso de roupas molhadas. Dessa forma, os especialistas pedem para que homens e mulheres evitem ficar com sungas e biquínis molhados por muito tempo.

Esse cuidado acaba sendo importante para o parceiro, que fica assim imune a possibilidade de contrair a doença de origem por fungos através do parceiro. #Curiosidade #SaudeFeminina