O desejo por uma bem-sucedida mudança de visual é compreensível. Infelizmente, às vezes, o tiro sai pela culatra com consequências terríveis para a vítima. Foi o que aconteceu com Kirsty Weston, uma #Mulher inglesa de 29 anos, mãe solteira de uma filha. Weston tentou seguir o visual "unicórnio" (unicorn hair), que está bombando nas redes sociais, no qual o cabelo é tingido de cores claras, imitando assim a típica representação da crina dos mitológicos unicórnios.

Para aplicar a tintura necessária, primeiro [VIDEO]ela tinha que descolorir seu cabelo moreno. Infelizmente, o kit de descoloração caseira de 5 libras esterlinas (aproximadamente R$ 20) que ela usou acabou deixando-a hospitalizada por seis semanas devido a severas queimaduras químicas que, inclusive, deixaram-na parcialmente careca.

Publicidade
Publicidade

Para reparar o dano feito a sua cabeça, ela teve que receber um transplante de pele de sua coxa direita. Desde o incidente, ela já passou por seis operações.

Kirsty Weston assegura que usou o produto [VIDEO]que comprou de acordo com as instruções e, quando ela ia começar a lavar o cabelo com água depois de passados 15 minutos da aplicação do produto, começou a sentir sensação de queimadura na cabeça. Apesar de ter corrido para enxaguar a cabeça para tirar o produto, ela ainda sentiu uma terrível dor na cabeça e tontura.

No dia seguinte, o rosto dela começou a inchar a ponto de ser impossível abrir o olho esquerdo. Quando ela foi a um hospital, recebeu tratamento para alergia e recebeu prescrição de antibióticos.

Depois que ela voltou ao estabelecimento médico, porém, os médicos perceberam que não estavam diante de um banal caso de alergia, mas de um severo quadro de queimaduras químicas.

Publicidade

O pessoal médico do hospital que a atendeu raspou sua cabeça para que ela passasse por uma cirurgia de emergência para tentar curar as queimaduras.

Ela perdeu metade do cabelo, e, segundo lhe explicaram, não mais crescerá o cabelo perdido porque a pele que foi colocada sobre as feridas não tem folículos. Kirsty, que, não quer no momento fazer mais cirurgias porque está muito atarefada cuidando de Lexa, sua filha pequena, mas cogita fazer mais operações no futuro ou passar por um transplante capilar, tem usado lenços, perucas ou capuzes para sair à rua.

Segundo Kirsty, ela resolveu adotar o estilo unicórnio ainda antes de ele se tornar bastante popular. Ela queria algo diferente, novo para o cabelo dela, mas afirma nunca ter imaginado que essa opção teria consequências tão grandes, tais como ter seu cabelo destruído e sua autoconfiança arruinada.

Embora sua mãe seja cabelereira, Kirsty achou que fazendo ela mesma a descoloração conseguiria poupar dinheiro e ter controle total sobre o resultado final.

Publicidade

Ela sabe agora que estava equivocada e lança um apelo às pessoas que quiserem descolorir o cabelo para que procurem os serviços de um profissional, alguém que saiba o que está fazendo.

Ela também se diz preocupada com o fato de poderosos descolorantes estarem à venda para pessoas que não sabem o que fazem. Esse tipo de produto potente deveria ser de venda restrita a profissionais, pontificou. #Moda