Pode parecer mentira, mas milhões de mulheres no Brasil nunca foram ao ginecologista e não sabem o tamanho da importância desta consulta. Isto acontece talvez por vergonha, medo, desconhecimento ou falta de costume. Seja qual for o motivo, ele não é justificável, ir ao ginecologista é essencial para a prevenção de muitas doenças que acometem as mulheres.

De acordo com a ginecologista Alyssa Dweck, autora de The Complete A to Z para o seu V, estas são algumas das duvidas mais comuns dos pacientes. Ela descreve os problemas mais comuns e o que fazer.

Causas da infecção

O equilíbrio da bactéria vaginal é tão delicado que, mesmo que as mulheres façam tudo para ficarem limpas e usar proteção, pode ser difícil evitar #infecções, ressecamento ou mau cheiro.

Publicidade
Publicidade

As mulheres têm mais de 50% de chance de sofrer pelo menos uma infecção do trato urinário em sua vida.

A maioria delas sofre por vários anos, com o risco de o problema progredir e afetar a bexiga, também conhecida como cistite, ou rins (pielonefrite). A infecção é ocasionado por bactérias que invadem a uretra. Em alguns casos, as bactérias fecais se deslocam do ânus para a vagina através de roupas íntimas.

Neste caso, as bactérias do intestino grosso, como escherichia coli, deixam o reto e atingem a uretra. No entanto, é muito comum as mulheres contraírem uma infecção do trato urinário durante o sexo, uma vez que as bactérias do pênis podem invadir a uretra ou movimento de impulsão pode empurrar bactéria fecal persistente para a sua uretra.

Os sintomas incluem:

Intensa dor na parte inferior das costas;

Dor intensa na vagina e pelve;

Um desejo constante de urinar, embora não haja muita urina;

Sensação ardente e dolorosa enquanto urina;

Urina escura, sanguenta ou turva;

Febre ou calafrios.

Publicidade

Grandes áreas de bactérias se colonizam naturalmente. É assim que a uretra pode ficar infectada. Por isso, urinar antes e depois do sexo é muito útil, fazendo isso naturalmente a retirada das bactérias da uretra. Dessa forma, quando você está empurrando, não há bactérias para colonizar em sua uretra.

Por que razão está mais seca do que antes?

O ressecamento vaginal é particularmente comum quando as mulheres [VIDEO] atingem a menopausa, quando ocorre redução de estrogênio. Isso significa que o tecido vaginal pode ficar fino, enfraquecer e encolher.

Porém, isso pode afetar as mulheres de todas as idades. As flutuações hormonais durante a gravidez e a amamentação podem desencadear a secura, a ansiedade pode também afetar o fluxo sanguíneo para a vagina causando secura. Nesse caso, recomenda-se o uso de um creme vaginal para tratar os desgastes.

O que é a vaginose bacteriana? Como tratar?

A vaginose bacteriana é uma perturbação do equilíbrio natural de bactérias que vivem dentro da vagina.

Publicidade

Ela pode ocorrer durante o sexo com alguém novo ou tendo múltiplos parceiros. O sêmen pode também diminuir os níveis de bactérias de proteção desencadeando vaginose.

Ela pode ser evitada com o uso de preservativos e a mudança de roupa molhada. A mulher também deve tentar incorporar mais probióticos em sua dieta, tais como os alimentos fermentados ou iogurtes.

Como você acabar com o mau cheiro?

O mau odor vaginal pode ocorrer em mulheres em várias fases da vida. Nesse caso, não se tratam de odor forte por falta de higiene e sim de um problema de #Saúde da mulher. Naturalmente, nossos corpos trabalham para manter o equilíbrio das bactérias. No entanto, quando o odor estiver forte demais, diferente do habitual e causando incômodo, é sinal de anormalidade e é hora de buscar orientação médica. O problema pode ser resolvido através de:

  • Suplementos de vitamina D. Estudos mostram que as mulheres que não possuem vitamina D apresentam maior risco de odor maligno vaginal;
  • Hidratação (os fluidos ajudam a dissipar o odor ruim);
  • Supositórios de ácido bórico (colocados semanalmente para manter o equilíbrio das bactérias vaginais sob controle);
  • Probióticos (na sua dieta ou suplementos para manter o equilíbrio das bactérias vaginais sob controle);
  • Produtos menos perfumados (para evitar irritações);
  • Lavagem menos vigorosa (para evitar irritar a área).

Quando surgir qualquer dúvida, a melhor opção é procurar um médico especialista para fazer o acompanhamento, pois os problemas variam de mulher para mulher. #SaudeFeminina