A empresa norte-americana Johnson & Johnson é conhecida por seus inúmeros produtos feitos para os cuidados com os bebês, as crianças e toda a família. Seus produtos estão entre os preferidos por muitas mães [VIDEO]e a sua escolha parece óbvia quando a preocupação com a qualidade e a saúde [VIDEO] está envolvida.

No entanto, nesta segunda-feira (21), um tribunal de Los Angeles condenou a empresa a pagar o valor recorde de exatos 417 milhões de dólares, o que equivale a cerca de R$ 1,3 bilhões. Isso porque uma mulher deu entrada com uma ação judicial contra a companhia norte-americada Johnson & Johnson. A mulher, que está hospitalizada, alega que desenvolveu câncer nos ovários depois de usar o taldo para bebês durante anos para fazer a higiene íntima feminina.

Publicidade
Publicidade

O tribunal decretou o seu veredicto, no processo movido pela californiana Eva Echeverria e estabeleceu a maior multa já concedida em processos judiciais, por conta do talco em pó infantil, movidos contra a empresa norte-americana Johnson & Johnson, até o momento, em tribunais dos Estados Unidos.

A americana afirma que a empresa não alerta os consumidores adequadamente sobre os riscos das pessoas desenvolverem câncer por causa da utilização dos produtos feitos à base de talco. Ela conta que usou o talco em pó para bebês, durante todos os dias, no período de 1950 a 2016, sendo diagnosticada com câncer nos ovários no ano de 2007, conforme dados contidos no processo.

Em comunicado feito após a divulgação da sentença, a porta-voz da empresa Johnson & Johnson, Carol Goodrich disse que a decisão do júri será contestada e que a empresa irá recorrer desta decisão.

Publicidade

Segundo Carol, serão acrescentadas evidências científicas que comprovam a segurança do pó de talco feito para bebês.

A empresa já havia sido condenada pelo mesmo motivo em outro caso

A empresa norte-americana já havia sido condenada, pelo tribunal de Missouri ao pagamento de uma multa de 110,5 milhões de dólares, devido a um processo movido por uma mulher da Virgínia, que assim como a californiana Eva Echeverria, foi diagnosticada com câncer nos ovários no ano de 2012.

Para surpresa dos consumidores dos produtos Johnson´s, além dos casos relatados acima, outros três casos foram julgados pelos tribunais de St. Louis e tiveram sentenças parecidas no ano passado. Nesses três casos os júris conderam a empresa ao pagamento de indenizações nos valores de 72 milhões, 70,1 milhões e 55 milhões, totalizando 307,6 milhões de dólares.

Deixe seu comentário, ele é muito importante e ajuda nas discussões de temas importantes! #SaudeFeminina #Johnson & Johnson