Pesquisadores dos Estados Unidos e China realizaram um experimento que é um marco para a Ciência e para a Medicina.

Eles conseguiram remover um gene defeituoso de um embrião utilizando uma técnica de Engenharia Genética chamada CRISPR. Com esta ferramenta da genética, os cientistas podem “editar” o DNA de qualquer organismo, inclusive dos humanos.

Os pesquisadores removeram o gene defeituoso que faz com que a pessoa desenvolva uma doença do coração, chamada de cardiomiopatia hipertrófica. Essa doença faz com que o sangue não seja bombeado corretamente podendo causar a morte súbita no portador.

A cardiomiopatia hipertrófica não tem cura e faz com que o coração aumente de tamanho.

Publicidade
Publicidade

O músculo do coração, chamado de miocárdio sofre uma hipertrofia e com isso, o órgão perde a capacidade de funcionar de forma eficaz.

Os resultados do experimento e todos os detalhes de como fizeram o trabalho foi publicado este mês na revista científica internacional Nature, que possui grande prestígio no mundo da Ciência.

Esse feito coloca em choque diversas questões éticas da genética humana e levanta muitas dúvidas sobre a manipulação de embriões com CRISPR.

Todo cuidado é pouco

Nem mesmo os cientistas possuem todas as respostas, por isso, é preciso cautela ao utilizar a engenharia genética para manipular DNA de embriões humanos.

A presença de um comitê de ética mundial é fundamental nestes casos. Além disso, a participação da sociedade na tomada de decisões a cerca do futuro da medicina é de extrema importância.

Publicidade

Questões precisam ser respondidas antes de qualquer novo passo

  • A sociedade estará segura, caso essa prática se torne comum e comercial?
  • Existe um limite da interferência de laboratórios no que é natural?
  • A técnica pode ser válida para tratar doenças, mas é para fins estéticos, como editar a cor dos olhos, da pele ou do cabelo do bebê, essa manipulação é válida?
  • Até que ponto a humanidade pode manipular os seres vivos?
  • E em longo prazo, corremos riscos com estas mutações no DNA?

Essas e muitas outras perguntas serão respondidas mediante muitos debates éticos.

O avanço da ciência e tecnologia tem proporcionado à medicina um crescimento exponencial, contudo, os princípios éticos e de proteção à integridade do ser humano devem ser colocados à frente de qualquer avanço.

É importante que a sociedade tenha conhecimento e esclarecimento a respeito das decisões tomadas pelos órgãos responsáveis para que a Ciência não fique sob o domínio de poucos, mas sim, seja popularizada e esteja ao alcance de todos os cidadãos do planeta. #genetica #embriõeshumanos