Publicidade
Publicidade

O tempo ideal da relação sexual sempre foi uma das principais dúvidas das pessoas que mantêm uma vida sexual ativa. A dúvida tida praticamente como universal foi finalmente esclarecida, graças a um artigo publicado na revista de grande circulação, 'The Conversationalist'.

Graças a uma série de pesquisas lideradas pelo renomado psicólogo-chefe da famosa Universidade de Queensland, sediada na Austrália [VIDEO], doutor Brendan Zietsch, os casais já podem comemorar a descoberta e identificar se fazem parte da média mundial.

Como pode-se definir o início e o fim da relação sexual?

O psicólogo definiu o tempo oficial da relação contando desde a penetração até a ejaculação.

Publicidade

Para o estudo, Zietsch observou ao todo 500 casais de diversas partes do mundo, que durante a relação sexual utilizaram um cronômetro para marcar o tempo preciso de seus atos sexuais no prazo de quatro semanas.

Os voluntários da pesquisa deram 'start' no momento em que houve a penetração e 'stop' no momento exato da ejaculação. Cronometrar a relação foi o método mais coerente para o psicólogo, pois, segundo o mesmo, as pessoas tendem a ser suscetíveis a serem amplamente tendenciosas se simplesmente perguntadas sobre o assunto. Além disso, é uma medida um tanto quanto complicada, pois as pessoas geralmente não teê o costume de olhar para o relógio enquanto se relacionam sexualmente.

O tempo ideal

Os resultados acerca do tempo médio para cada casal heterossexual varia de 33 segundos até 44 minutos.

Publicidade

Sendo que a média geral quando analisada em grupo foi de 5,4 minutos.

O especialista e idealizador da pesquisa ressaltou ainda que a utilização de preservativos, bem como a circuncisão do órgão genital masculino, em nada afetaram a duração do ato sexual. Desmistificando assim a afirmação feita por muitos homens que acreditam que os preservativos tendem a atrasar a ereção, pois removem toda a sensibilidade do órgão genital. Ainda enfatizando o fato de alguns homens se mostrarem resistentes ao uso de preservativos íntimos, um estudo realizado nos Estados Unidos [VIDEO], no ano de 2015, apontou que os homens heterossexuais, cuja idade compreende entre 18 e 24 anos, que alegaram que o uso de preservativos são vistos pelos mesmos como uma barreira contra a ereção, são os homens com maior possibilidade de desenvolverem problemas na vida sexual, bem como a sofrerem antecipadamente com de disfunção erétil. #tempo da relação sexual #demora da relação sexual #quanto tempo relações