Publicidade
Publicidade

Considerado pela maioria dos médicos especialistas em oncologia como o principal método de tratamento para os pacientes diagnosticados com os mais variados tipo de câncer, a quimioterapia [VIDEO], muitas das vezes, é vista como vilã e faz com que muitos pacientes desistam do tratamento clínico, e busquem para si métodos alternativos para amenizarem os efeitos e avanços do câncer.

Indicado mundialmente para o tratamento de diversos tipos de câncer, a quimioterapia proporciona fortes efeitos colaterais e eles, muitas das vezes, acabam por assustar demasiadamente os pacientes que se submetem às doloridas e demoradas sessões.

Publicidade

Importantíssima no processo de impedir o avanço da doença, a quimioterapia vem a cada dia mais sendo substituída por tratamentos tidos anticâncer, que, muitas das vezes, não contam com nenhuma especificação médica.

Um dos casos mais evidenciados no país nos últimos meses, é a descoberta de um câncer no pâncreas e no fígado do jornalista e apresentador, Marcelo Rezende [VIDEO], de 65 anos.

Contando com o auxílio dos melhores especialistas do ramo, Marcelo deu início ao tratamento quimioterápico em um hospital de São Paulo e após três sessões, revelou publicamente o abandono do tratamento, devido aos efeitos colaterais classificados por ele como insuportáveis.

Adotando um tratamento baseado em uma dieta intitulada anticâncer, Marcelo segue longe dos hospitais e conta com visitas esporádicas de um médico endocrinologista, que o atende no conforto de sua casa.

Publicidade

Os riscos de abandonar o tratamento

De acordo com um estudo realizado pelo oncologista e professor da Universidade de Medicina de Yale, nos Estados Unidos, Skyler Johnson, pacientes que abandonam tratamentos clínicos como a quimioterapia a fim de buscarem a cura para seu câncer em tratamentos alternativos que prometem menos efeitos colaterais têm o dobro de chance de morrerem, quando comparados a pacientes que seguem os tratamentos recomendados pelos especialistas.

Realizando uma pesquisa com 840 pacientes diagnosticados com câncer, doutor Skyler chegou a um resultado assustador e alarmante. Após comparar o quadro dos voluntários, constatou-se que os 280 pacientes que optaram por tratamentos alternativos contra a doença e se negaram a se submeter à quimioterapia, cirurgia de retirada do tumor ou algum tratamento clínico de radiação, apresentaram 2,5 vezes mais chances de morrer em um prazo de no máximo 5 anos, enquanto os 560 se submetiam frequentemente aos tratamentos clínicos estipulados para seu tipo de câncer, contavam com o dobro de chances de superarem a doença. #abandono da quimioterapia #câncer quimioterapia tratamento #Marcelo Rezende