Publicidade
Publicidade

Existem alguns fatores a serem levados em consideração quando se trata de sangramentos após a prática sexual pelas #mulheres. A primeira coisa a ser dita é que após a primeira relação sexual da mulher, é absolutamente normal que haja sangramento, pois nessa ocasião há o rompimento do hímen. Mas existem alguns fluxos sanguíneos em que se deve prestar mais atenção.

Sangrar após o sexo [VIDEO], quando não é a primeira vez em que é praticado, não é normal. Esses sangramentos podem ocorrer por razões preocupantes, podem ser advindos de desquilíbrios no organismo e até mesmo doenças, algumas graves. Portanto, pode-se concluir que se uma mulher sangrar após o sexo, deve procurar um ginecologista o mais rápido possível, pois o acompanhamento médico sempre é essencial.

Publicidade

Quaisquer alterações podem ser determinadas em exames padrão, como papanicolau e colposcopia.

Existem maneiras de determinar a gravidade da situação por indicativos como a cor do sangramento, além da quantidade de sangue propriamente dita. Com relação a cor, caso seja de um vermelho muito intenso, podem ser duas causas, DST (Doença Sexualmente Transmissível) ou lesões.

Doenças Sexuamente Transmissíveis tendem a causar infecções, exemplos são a famosa herpes vaginal, gonorreia e clamídia, entre outras. Inclusive o sangramento vaginal pode ser considerado um sintoma que indica o avanço da doença, portanto esse é mais um motivo para procurar o médico o quanto antes.

As lesões podem ser causadas por sessões de sexo muito intensas. Às vezes, após o sexo, as mulheres sentem dor e essa pode ser uma causa, pois praticar "sexo animal" ou qualquer costume desse gênero pode ser prejudicial a mulher, pois todo o sistema reprodutor feminino tende a ser muito sensível, e com relação a isso, ainda existe o problema da falta de lubrificação.

Publicidade

Muitas vezes, a mulher não está com vontade de praticar o sexo mas, muitas vezes, o parceiro pode insistir e até mesmo forçar o sexo. Nesses casos, dificilmente a mulher vai ter lubrificação, que é basicamente um facilitador ao órgão masculino quando a mulher está excitada sexualmente, o que não costuma ocorrer quando o homem está insistindo ou forçando. Inclusive essa prática masculina, de forçar o sexo, não é tão incomum quanto se imagina, mas por se tratar de parceiros de longa data, ou ameaças que a mulher sofre, ela tende a não fazer as denúncias, mas a situação é caracterizada como crime de estupro no código penal brasileiro.

Quando o sangue tem uma coloração parecida com borra de café, ou seja, amarronzado, isso indica em casos de hemorragia de baixa intensidade, geralmente ocorrendo em períodos menstruais. Além disso, ainda há o agravante da quantidade de sangue. Quando o fluxo sanguíneo é pequeno, pode ser furto de microtraumas e, isso, não costuma ser tão grave, pode acontecer do sangue ser originado de alguma ferida no colo uterino, ou vaginite, entre outras causas.

Publicidade

Mas o agravante de correr muito sangue é deveras mais preocupante, pois pode ser decorrente de doenças graves. Costuma vir acompanhado de fraqueza, dores de cabeça e palidez. Nessa situação, um médico deve ser consultado imediatamente, uma vez que a situação pode evoluir para uma hemorragia e, consequentemente, à morte. #relação íntima #Sangramento após o sexo