Colocar o dedo no #nariz é uma verdadeira [VIDEO]mania entre os brasileiros e em boa parte do mundo, apesar de ser um hábito que não é aceito socialmente. Mas não ser socialmente aceito não significa que não acontece, e sim que a maioria faz escondido ou quando acha que ninguém está olhando. Sem dúvida, a sociedade acha nojento fazer isso em público, porém, pesquisas apontam que a grande maioria faz isso. O que acontece é que aquele que tem esse hábito, admitindo ou não, está pondo em risco a própria #Saúde. Mas como todos os hábitos, sua origem é na infância.

Algumas crianças podem possuir secreção [VIDEO]em excesso nas narinas e essa matéria vai secando ao longo do tempo, processo que causa incômodo e leva a criança a levar os dedos até o nariz, o que acaba se tornando um hábito.

Publicidade
Publicidade

Acontece da seguinte maneira, imagine uma criança que contraiu um resfriado e por isso, uma situação bem comum, ela passou a levar o dedo ao nariz durante uma semana. Essa criança, mesmo após passar o resfriado, vai continuar levando o dedo ao nariz, e é nesse ponto que a maioria dos pais erra, pois muitas vezes as crianças são teimosas e tendem a manter um comportamento quando são repreendidas. Neste caso, o mais indicado é não dar tanta importância e manter os pequenos ocupados.

Esse hábito tem um nome dado pelos profissionais da área da saúde, “rinotilexia” ou “rinotilexomania”. As pesquisas indicam que, além de comum, esse hábito costuma ser praticado cerca de 4 vezes ao dia. Dependendo da quantidade de vezes praticada, pode se tornar um transtorno e causa inúmeros riscos à saúde.

Os médicos costumam recomendar que esse ato não seja praticado, mas em caso de incômodo causado por corpos estranhos, a pessoa em questão deve usar lenços, que são deveras mais higiênicos que as mãos.

Publicidade

A rinolexia não atinge ou prejudica o olfato de maneira direta, pois os nervos responsáveis pelo olfato em si se encontram dentro da estrutura nasal de tal maneira profundos, que são inatingíveis pelos dedos, o que não diminui em nada os riscos à saúde. Os principais problemas são as infecções, sangramentos do nariz e perfuração da estrutura do septo nasal.

A infecção pode ser definida como invasão de um hospedeiro, por microorganismos ou outros tipos de “agentes infecciosos” dos mais variados tipos e que podem causar os mais variados tipos de problemas. Geralmente o primeiro problema tende a ser a inflamação, que causa grande desconforto, principalmente se localizada no nariz.

O sangramento nasal, também conhecido como epistaxe, é originário da ruptura de capilares internos do nariz e pode ocorrer por rinolexia ou em decorrência de pancadas, causadas por acidente ou conflitos físicos. Deve ser tratado quando ocorre frequentemente e pode facilitar a ação de bactérias e outros microorganismos.

Publicidade

Uma das infecções que podem ser adquiridas devido ao hábito de levar os dedos às cavidades nasais é a denominada “impertigo”, que é relativamente comum e atinge as camadas mais superficiais da pele. Um dos sintomas são as erupções cutâneas, que tendem a começar em pontos isolados, como o nariz e, à medida que o infectado coça, a faz se espalhar por qualquer ponto da pele que entre em contato com a bactéria.