Publicidade
Publicidade

A gravidez é um momento mágico, em que um ser indefeso se desenvolve dentro do ventre materno. A expectativa é ter uma gestação tranquila, durante os nove meses ou 40 semanas. As mães planejam a arrumação do quartinho, o enxoval, as lembrancinhas, etc. Mas uma coisa que nenhuma mãe planeja são as complicações que podem ocorrer durante a gravidez. Confira as mais corriqueiras:

Hiperêmese gravídica

O mal que afligiu a duquesa Kate Middleton em todas as suas gestações. Parece um problema comum, pois quase todas as mulheres enjoam nos três primeiros meses [VIDEO], mas a hiperêmese gravídica [VIDEO] é mais complicada que os enjoos normais, pois ela pode causar vários problemas, como: desidratação, perda significativa de peso, problemas no fígado.

Publicidade

O tratamento é soro por via venosa e repouso absoluto. Na maioria dos casos, é necessário a internação da paciente. Em casos mais severos, em que a gestante não consegue se recuperar ou que esteja em risco de morte, os médicos podem sugerir a interrupção da gravidez.

Deslocamento de placenta

Já a apresentadora Eliana, que está prestes a dar à luz, sofre desde as 11 semanas da gestação de deslocamento de placenta. No início, ela teve o útero reforçado numa cirurgia para conseguir prosseguir [VIDEO]com a gravidez, e passou a gestação toda em repouso. Os sintomas são a perda de líquidos e sangramento e dor abdominal forte.

O principal tratamento é o repouso absoluto. Na maioria dos casos, é necessária a internação da gestante, para que seja feito um acompanhamento mais eficiente. Os tratamentos são de repouso para a mãe e corticóides para o bebê, para que desenvolva bem os pulmões, caso tenha que ser feito um parto prematuro.

Publicidade

Pré-eclâmpsia e eclâmpsia

A pré-eclâmpsia é uma das complicações mais comuns na gravidez, ela atinge, geralmente, mulheres que estão grávidas pela primeira vez ou de gêmeos. As que têm parentes que já tiveram o problema ou que já passaram por isso numa gravidez anterior também estão no grupo de risco. A complicação é a hipertensão arterial, a temível pressão alta, acompanhada da proteína da urina. Geralmente se desenvolve a partir da vigésima semana.

Os principais sintomas são: dor de cabeça, mãos e pés inchados, inchaço ao redor dos olhos, pressão alta durante a gestação e proteínas na urina, detectáveis através de exames clínicos. Como as outras complicações descritas acima, também é necessária a internação da paciente, pois a eclâmpsia pode causar convulsões na mãe.

O tratamento é repouso, medicação para baixar a pressão arterial, sulfato de magnésio para impedir as convulsões e fazer o parto assim que possível, pois a eclâmpsia traz riscos para a mãe e para o bebê. #Inglaterra #Saúde