Publicidade
Publicidade

É comum que, ao sentir qualquer tipo de alteração no corpo, as pessoas recorram aos médicos que prontamente receitam um medicamento alopático para resolver o problema.

Entretanto, atualmente, estamos presenciando o ressurgimento do uso de tratamentos naturais, seja para a prevenção ou cura de doenças.

Isso se deve ao fato de que as pessoas estão tendo maior consciência do uso indiscriminado de substâncias químicas que podem levar ao desenvolvimento de super bactérias. Além disso, os profissionais de saúde também estão se preocupando em alertar sobre o período da automedicação, o que faz com que o consumo de medicamentos tenha sido feito de forma mais responsável e consciente e até mesmo evitado quando se pode substituir por um tratamento natural.

Publicidade

Técnicas ancestrais e milenares ganham espaço

Os motivos que relatamos acima fazem com que técnicas que nossos antepassados usavam ganhem cada vez mais espaço. Dentre essas práticas estão o uso de florais, banhos, emplastros, chás, escalda-pés, combinação de ervas e etc.

Dentre esse resgate, se inclui o sagrado feminino e a #Vaporização do útero que é feita para tratar problema físicos e emocionais e, com isso melhorar a saúde da mulher como um todo.

A vaporização do útero é feita da seguinte forma: ferve-se ervas medicinais e coloca em um recipiente, de modo que a vagina possa ser exposta a esse vapor que sai da mistura fervida fina.

A mucosa do canal vaginal é bastante fino, as propriedades das ervas são absorvidas e rapidamente entram na corrente sanguínea.

Neste tipo de ginecologia natural, as ervas devem ser usadas de acordo com o objetivo a ser alcançado.

Publicidade

Deve-se misturar no máximo 5 ervas.

Confira algumas ervas que podem ser usadas:

  • Alecrim: possui propriedades atissépticas e de limpeza aumenta a circulação para os órgãos reprodutivos;
  • Lavanda: ajuda a relaxar e acalmar a mente e o corpo. Também é antisséptico e antiespasmódico, ajudando a manter o útero saudável;
  • Orégano: pode ser usado para trazer a menstruação (é preciso ter certeza que não se está grávida). Possui propriedades estimulantes e também ajuda no tratamento e prevenção de infecções;
  • Calêndula: ajuda na limpeza e na cicatrização de inflamação e feridas;
  • Camomila: possui efeito calmante e relaxante, além de fortalecer o corpo como um todo.

Como fazer preparar a vaporização

Escolha uma erva ou mais indicadas para seu caso e coloque em um balde esterilizado. Coloque a água fervida por cima e posicione o balde entre as perrnas.

Se cubra com um cobertor e após a vaporização feita, mantenha-se ainda coberta e descanse, podendo ouvir música ou ler um livro. Ou seja, não faça a vaporização se tiver algum compromisso que tenha que sair de casa.

Publicidade

Principais benefícios da vaporização

Reduz desconfortos em geral do sistema reprodutivo feminino, sintomas da menopausa, aumenta a fertilidade, faz a desintoxicação, acalma o corpo, melhora o quadro emocional, melhora o sono, aumenta a circulação sanguínea e reconecta a #Mulher com seu sagrado feminino.

Quando não fazer a vaporização

O procedimento é desaconselhado durante o período menstrual ou se a mulher estiver tendo qualquer tipo de sangramento, gravidez, na gestação, se usar DIU e em caso de feridas abertas na região vaginal. #Saúde Feminina