O narguilé, uma espécie de cachimbo, tem se tornado cada vez mais popular entre os jovens do mundo inteiro. Ao contrário do cachimbo tradicional, o narguilé funciona a base de água perfumada. Ele é tido por seus usuários como algo inofensivo, porém, o que poucos sabem é que a essência utilizada é composta por uma mistura de aromatizantes e tabaco.

Segundo informações da Organização Mundial da #Saúde (OMS), quando alguém pratica sessenta minutos de narguilé, é como se a pessoa estivesse fumando uma média de 100 cigarros tradicionais. O Instituto Nacional do Câncer afirmou que, em uma sessão de narguilé, 4700 tipos de substâncias são inaladas pelo usuário.

Publicidade
Publicidade

Quais os riscos?

Os especialistas afirmam que, além dos riscos relacionados ao fumo e ao #tabaco passivo, também se deve atentar para as imensas possibilidades de transmissão de algumas doenças infecciosas, pois o narguilé é, na maioria das vezes, de uso compartilhado, o que pode resultar em herpes, hepatite e tuberculose.

Tabacarias

Segundo informações coletadas na BBC Brasil, as autoridades têm se preocupado com aumento de tabacarias que fornecem o uso de #Narguilés. Vale ressaltar que no Brasil já existe a Lei Antifumo, que entrou em vigor no ano de 2009. Porém, essa lei não proíbe as tabacarias de existirem, desde que sejam cumpridas algumas normas como, por exemplo, de não oferecem bebidas alcoólicas [VIDEO], alimentos e que sejam produzidas com sistema de ventilação e exaustão para que a fumaça possa sair, em casos de ambientes fechados.

Publicidade

A lei também determina que esses locais devem possuir placas de alerta para os visitantes sobre os riscos que sofrem os usuários ao consumirem esse tipo de produto. Se houver descumprimentos dessas regras, a Justiça poderá multar o estabelecimento. Nos casos reincidentes, o estabelecimento será interditado.

A estimativa é que apenas no estado de São Paulo, desde o ano de 2009, quando a lei foi aprovada, mais de 1,7 milhão de restaurantes, bares e tabacarias foram inspecionadas. As multas aplicadas chegaram ao total de 3854. Todas apresentavam irregularidades em relação ao uso do narguilé.

Porta aberta

Segundo a cardiologista e coordenadora do Programa de Tratamento ao Tabagismo do Instituto do Coração do Hospital das Clínicas, Jaqueline Scholz, o uso do narguilé tem se tornado cada vez mais atrativo em meio aos jovens e adolescentes. Tudo, devido ao uso de aromatizantes e pelo fato de ser algo de uso compartilhado com amigos. Porém, não se deve esquecer que o narguilé possui um alto teor de nicotina.