Publicidade
Publicidade

Todos os dias, diversas pessoas tentam quebrar novos recordes, alguns deles bem estranhos, por sinal, mas o objetivo dessas pessoas é apenas entrar para o famoso “Livro dos Recordes”, ou em seu nome original [VIDEO], Guinness Book.

Mas isso não foi o que aconteceu com Jemima Layzell, de 13 anos, que acabou batendo um recorde extremamente incrível: ela salvou 8 vidas com doação de órgãos. Uma bela atitude que motiva outras pessoas a pensarem no assunto.

A menina sofreu um desmaio enquanto organizava a festa de aniversário de sua mãe, que estava prestes a completar seus 28 anos, e apenas quatro dias depois do susto, ela acabou falecendo [VIDEO] devido a um aneurisma cerebral, no ano de 2012.

Publicidade

Depois do seu falecimento, os pais tiveram que fazer a difícil escolha de doar os órgãos de sua filha, porém, como eles já sabiam que esse era um desejo da jovem, o fizeram. Foram doados o coração, o pâncreas, os pulmões, os rins, o fígado e o intestino delgado.

Os pais lembram que a menina era muito meiga, inteligente, caridosa e criativa. "Nós sabemos que onde ela estiver, ela está muito feliz com o que deixou", afirmaram os pais da garotinha.

"Isso fez a gente perceber que dizer não seria correto negar as outras oito pessoas a chance de continuar a vida, apesar de nos sentirmos desconfortáveis com a doação do coração de nossa filha naquele momento, sabíamos que esse era um desejo dela. Por isso, sabemos que essa foi a decisão mais correta", revelou a mãe da falecida.

Segundo o próprio sistema de saúde britânico, esse é um recorde absoluto.

Publicidade

As doações salvaram a vida de oito pessoas, sendo 5 crianças e 3 adultos moradores da cidade de Somerset, no Reino Unido.

Em entrevista, a mãe disse que foi muito difícil tomar a decisão correta, mas por já ter falado sobre o assunto com a filha quando uma pessoa próximas a elas havia falecido em um acidente de carro, ela sabia que essa era a vontade de Jemima, e que era a decisão certa a ser tomada.

"Sabemos que os pais tem um instinto especial para proteger e dizer não quando o assunto é um filho, estamos programados para proteger nossos filhos sempre. Mas lembramos que previamente havíamos conversado com Jemima, e ela que nos permitiu dizer sim", afirmou o casal.

Hoje, depois de terem aprendido a lidar com a dor da perda, a família da jovem criou uma ONG para crianças e jovens com danos cerebrais, a 'The Jemima Layzell Truste', que pretende salvar ainda mais vidas e honrar o nome da jovem.

Se você gostou do artigo, deixe seus comentários e não se esqueça de compartilhar nas redes sociais! #SaudeFeminina #notícias quentes