O "Mal da Vaca Louca", como é popularmente chamada a doença, surgiu no ano de 1980 em rebanhos bovinos, na Inglaterra.

Na década de 1980, a doença era transmitida pelo consumo de carne bovina contaminada, o que deu origem ao nome.

Até hoje nenhum pesquisador encontrou o que realmente originava a contaminação do gado.

De acordo com o médico Luiz Henrique Frizzera Borges, a doença é uma encefalopatia espongiforme transmissível. A doença não tem tratamento e nem cura.

A origem da infecção nunca foi descoberta, mas a epidemia se alastrou, pois o gado saudável era alimentado com farinha feita de carne e ossos dos animais infectados que eram abatidos.

Publicidade
Publicidade

O médico Luiz Henrique Frizzera Borges assegura que a epidemia foi controlada no passado. Mas o médico alerta que hoje as formas de contágio são fatores hereditários, transplante de órgãos, transfusão de sangue e até mesmo o contato direto com secreções de pessoas contaminadas.

A doença é bastante cruel. Os sintomas começam devagar. Primeiro uma confusão mental e falta de memória, a pessoa infectada começa a não reconhecer pessoas de seu convívio diário.

Caminhar começa a ser uma tarefa difícil, os músculos começam a ficar duros e o desequilíbrio fica evidente. A pessoa começa a ficar sem apetite.

Em seguida, a pessoa infectada fica de cama e perde totalmente os movimentos, essa é a fase final da doença da "Vaca Louca".

A partir desse ponto, o raciocínio e a sanidade se vão e a pessoa passa a vegetar.

Publicidade

O "Mal da Vaca Louca" pode não se manifestar por muitos e muitos anos, mas assim que as células infectadas se manifestam, a pessoa infectada tem apenas 12 meses de vida.

Luiz Henrique Frizzera Borges diz que a doença não tem cura e o máximo que se pode fazer ao notar os sintomas é procurar o neurologista para obter o diagnóstico. A partir daí só resta esperar a morte após o ano que resta.

O "Mal da Vaca Louca" acomete 1 a cada 1 milhão de indivíduos. O irmão do doutor Luiz Henrique Frizzera Borges, começou a apresentar sintomas da doença em junho desse ano.

Ele tem 64 anos e a doença o levou rapidamente a um coma vegetativo.

A doença é incurável e a vítima não tem como se tratar para amenizar o sofrimento da doença. Após o coma vegetativo é só questão de tempo até o falecimento.

Poucas pessoas têm conhecimento da doença da " Vaca Louca", isso dificulta o diagnóstico precoce, um exemplo são as cidades pequenas do nordeste onde a população não recebe informação sobre doenças como essa. #milagre #estudo