Nessa terça (9) e quarta-feira (10) de dezembro, 38.101 pessoas privadas de liberdade (PPL) realizam o ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio), edição 2014. A prova, cuja aplicação será exatamente idêntica ao exame tradicional realizado no mês de novembro, é destinada aos candidatos que cumprem medidas socioeducativas, em sistemas prisionais federais, unidades socioeducativas e unidades penitenciárias. Em relação à 2013, o número de internos interessados em participar da prova registrou um crescimento de 25,65%.

O exame terá início às 13h00 (horário de Brasília) e segue os mesmos moldes da edição tradicional. A prova será dividida em dois dias, sendo que hoje (terça-feira) serão aplicadas as provas de ciências humanas e ciências da natureza (os candidatos terão 4 horas e 30 minutos para resolver as 90 questões) e amanhã, na quarta-feira, serão aplicadas as provas de linguagens e códigos e de matemática, além da redação (o tempo para a resolução das 90 questões mais a redação é de 5 horas e 30 minutos).

Ao realizar o ENEM PPL, os candidatos poderão, assim como os demais, participar dos processos seletivos do PROUNI e SISU, voltados ao ingresso às universidades públicas e particulares. Poderão, também, garantir a certificação do Ensino Médio.

Vale lembrar, porém, que o êxito na participação depende, exclusivamente, do bom desempenho nas provas.

Diferente do que acontece no exame tradicional, os responsáveis pelas inscrições, acesso aos resultados e inscrição nos processos seletivos dos programas PROUNI e SISU são os coordenadores pedagógicos responsáveis por cada unidade.

O estado de São Paulo foi o que registrou o maior número de inscritos, entre as unidades penitenciárias, socioeducativas e prisionais federais. No total, são 13.135 candidatos.

Para participar do exame, os candidatos contaram com o suporte e respaldo das equipes pedagógicas de cada unidade, de modo que se encontrassem em condições de obter um bom desempenho e, de fato, trilhar um futuro um pouco mais promissor.