O adolescente José Victor Menezes Teles, 14 anos, morador da cidade de Itabaiana - Sergipe, foi autorizado pela justiça a cursar medicina na Universidade Federal de Sergipe (UFS). Isso graças à sua nota alta no Sistema de Seleção Unificada (Sisu) que permitiu a conquista da vaga.

Embora ainda esteja no primeiro ano do ensino médio, o garoto, que teve uma nota alta no Enem, foi autorizado pelo juiz Alberto Romeu Gouveia Leite da 1ª Vara Cível da Comarca de Itabaiana a fazer uma prova de proficiência do ensino médio que é realizado pela Secretaria de Estado da #Educação (Seed). Aprovado, o estudante conquistou o certificado de conclusão do ensino médio e, com isso, poderá fazer a sua matricula no curso universitário.

Publicidade
Publicidade

José Victor disse que está feliz e preparado para essa nova fase da vida.

Quem é o estudante

Aluno do ensino médio na Escola Estadual Murilo Braga, José Victor obteve na prova do Exame Nacional do Ensino Médio a média final de 751,16 pontos e 960 pontos na prova de redação. Assim, conseguiu ficar entre os 100 aprovados para o curso de medicina da UFS. Dentre os alunos de escola pública, Victor ficou em 7º lugar.

Com a autorização judicial para realizar a prova de proficiência, o estudante foi submetido a uma avaliação com 120 questões de disciplinas variadas, além de uma redação. Com a aprovação, legalmente o adolescente pode se matricular no curso universitário. O garoto, que sonhava em ser médico, vai poder realizar o sonho com apenas 14 anos de idade.

Isso só foi conquistado graças a muita dedicação.

Publicidade

Para que fosse possível tal feito, ele estudou toda matéria do ensino médio e se dedicava 3 horas por dia a resolver questões de provas anteriores do Enem. De acordo com ele, a organização do tempo de estudo e o treino para o estilo de prova aplicada foram essenciais para o sucesso. Para isso, o adolescente contou com a ajuda de seus pais, que são professores. Além de livros complementares, vídeo-aulas na internet e aulas do curso pré-vestibular da Secretaria de Estado da Educação ajudaram na preparação.