Luiz Cláudio Costa, secretário-executivo do Ministério da #Educação, disse que o site do Fies está passando por manutenção, mas deve voltar a funcionar em breve. Ele ainda garantiu que o governo quer dialogar com as universidades particulares para que as vagas tenham mais qualidade.

As instituições de ensino superior estão questionando a nova exigência do MEC, agora é necessário ter obtido a nota mínima de 450 pontos no ENEM, Exame Nacional do Ensino Médio, para poder ter acesso ao financiamento do curso. Até o ano passado, a exigência do Fies era que o estudante tivesse feito o ENEM e não havia nota mínima. Depois que essa mudança foi divulgada, no final de dezembro, o site do Fies está fora do ar e por isso novos candidatos não estão conseguindo realizar o cadastro.

Publicidade
Publicidade

De acordo com Costa, o ministro da Educação, Cid Gomes, quer qualidade no ensino que é oferecido aos estudantes. É necessário atenção para oferecer mais oportunidades sem deixar o pressuposto da qualidade.

Mesmo sem prazo definido, a página do Fies pode voltar a funcionar a qualquer momento depois das inscrições no Prouni. Costa garante que os alunos não serão prejudicados pela manutenção ocorrida no site. O secretário afirmou que o MEC trabalhou em cima do site do Sisu, está trabalhando no do Prouni e que em seguida os técnicos irão cuidar do novo site do Fies.

O Fies é um sistema de financiamento que paga entre 50% e 100% da mensalidade em instituições de ensino superior, a porcentagem a ser financiada depende da renda familiar do aluno. Diferente do Sisu e do Prouni, os interessados podem se inscrever no Fies em qualquer época do ano.

Publicidade

Em 2014, o governo investiu mais de 9 bilhões de reais em pagamentos de mensalidades do Fies.

Muitas universidades públicas estão tentando derrubar na Justiça a mudança que exige uma nota mínima no Enem, pois segundo elas, isso pode representar uma queda de até 20% nas inscrições. De acordo com o advogado representante da Federal Nacional dos Estabelecimentos de Ensino Particulares, Diego Munoz, essa medida do MEC está restringindo o acesso do aluno ao ensino de nível superior. #Vestibular