Os concurseiros que já vêm se preparando para as seleções de certos concursos estão a par da demora. A espera pelos editais das grandes seleções públicas - como a do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) que prevê abertura de processo seletivo para contratação de mais de 800 #Vagas para auditor do trabalho - está dando um banho de água fria nos cursinhos preparatórios. Segundo os especialistas, a previsão é que os editais que estariam previstos para serem lançados até o primeiro semestre do ano fincarão para o segundo semestre ou então para o próximo ano.

Primeiro a abertura de seleção não pode ocorrer pois ainda faltava a aprovação da Lei Orçamentária de 2015, que só ficou pronta semana passada.

Publicidade
Publicidade

Agora é esperar que o Ministério do Planejamento defina quando serão autorizados os pedidos de abertura de processo seletivo pois ainda não há nenhum cronograma de certames a serem autorizados durante este ano.

O quadro não é dos mais otimistas, o Ministério do Planejamento não descarta a possibilidade de ocorrer reduções de autorizações mas também não confirma a notícia, acontece que a aprovação da Lei Orçamentária não é por si só garantia certa da realização dos concursos. Os concursos que estão na lista de espera são o do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), Agências Reguladoras de Água (ANA), Agência Nacional Reguladora dos Transportes Terrestres (ANTT), Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) e Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).

Outros órgãos já obtiveram autorização e já definiram a banca examinadora responsável confecção das provas mas ainda não confirmaram a data de publicação dos editais, é o caso da Advocacia Geral da União (AGU) que contratou a Escola de Administração Fazendária (Esaf) para realizar a seleção de 22 advogados, a expectativa é que seja lançado edital ainda este semestre.

Publicidade

Há pedidos realizados ainda no ano de 2014 que não foram autorizados. No processo o órgão interessado em abrir vagas deve pedir autorização ao Ministério do Planejamento, ocorrendo a autorização o ministério concede o período de seis meses para que seja definida a banca examinadora e o edital seja publicado.