A desigualdade de gênero é algo que ainda acontece no Brasil e no mundo. De acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, em 2014, os homens brasileiros tiveram salário médio de R$ 1.247,98. Já as mulheres, tiveram salário médio de R$ 1.075,52. E a taxa de desemprego também é maior entre as mulheres brasileiras, de 7,7%, já para os homens, é de 5,6%, de acordo com dados do IBGE.

Em linhas gerais, o mercado brasileiro segue a tendência mundial e é menos favorável para as mulheres. Ainda assim, há algumas profissões em que são elas que se destacam. De acordo com o famoso site de empregos Catho, em alguns cargos as mulheres chegam a ganhar 123% a mais do que os homens.

Publicidade
Publicidade

A profissão de historiador, por exemplo, paga uma média de R$ 864,20 para homens e de R$ 1.935 para mulheres. No cargo de analista de back office, as mulheres ganham, em média, R$ 4.150, e os homens, R$ 1.938,40. Em outras profissões, como advogado criminalista, designer instrucional e analista de relacionamento, as mulheres chegam a ganhar um salário 50% maior. 

A empresa Catho fez um levantamento geral sobre as profissões em que as mulheres ganham mais, tomando como base as informações da sua mais nova Pesquisa Salarial e de Benefícios. Para a pesquisa, foram analisados os perfis de quase 500 mil profissionais de mais de 2 mil cidades brasileiras. 

Confira abaixo os 12 empregos em que as mulheres ganham mais que homens e seus respectivos salários médios.  #Vagas

  • Médico ambulatorial: R$ 12.766,67 
  • Engenheiro de custos: R$ 9.985,08 
  • Médico emergencista: R$ 9,972,50 
  • Médico anestesista: R$ 9.786,67 
  • Médico clínico geral R$ 8.962,98 
  • Médico auditor: R$ 8.710 
  • Engenheiro de planejamento e controle: R$ 7.813,89 
  • Analista de relações institucionais: R$ 7.127,14
  • Especialista em compras: R$ 7.099,20 
  • Dermatologista: R$ 6.930,00 
  • Ginecologista: R$ 6.686,00 
  • Pediatra: R$ 6.527,27
No Índice Global de Desigualdade de Gênero de 2014, levantamento que estuda a diferença salarial entre mulheres e homens, o Brasil ocupou a 71ª posição, em um total de 142 nações. Em 2013, o Brasil ocupava a 62ª posição, portanto, caiu nove posições em um ano. Na América Latina, o país está na 15ª colocação, entre um total de 25 nações.