O presidente da Anasps, Alexandre Lisboa, informou no último dia 20, que foi recomendado pela Associação Nacional dos Servidores da Previdência e da Seguridade Social (Anasps) que o Ministério da Previdência Social e o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) reapresentem as propostas que se referem à área de Recursos Humanos, o que envolve 4.730 vagas para o concurso do INSS. 


É esperado pela Anasps que as propostas sejam ao menos consideradas já com o novo mandato da presidente Dilma Rousseff e com os novos ministros da Previdência e do Planejamento. Acredita-se que a contratação dos classificados no concurso ocorra em 2016, mas a seleção ocorra ainda este ano devido à necessidade de novos servidores.

Até então o concurso aguardava votação do Orçamento da União de 2015, o que era um dos requisitos para que pudessem ocorrer avanços no processo de autorização que consta no Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG). Após o Projeto de Lei Orçamentária Anual ter sido votado e aprovado, a expectativa é de que o certame seja autorizado ainda este ano. 


Elisete Berchiol, presidente do INSS, afirmou que entrará em contato com o Ministério do Planejamento após a sanção do Orçamento da União pela presidente Dilma Rouseff, ela também se comprometeu a cobrar o concurso. O Tribunal de Contas da União (TCU) também está cobrando o concurso e constata o risco de colapso caso o concurso não ocorra. O deputado federal Chico Alencar (PSOL-RJ) emitiu um requerimento de informação, questionando quando ocorrerá o concurso - o documento emitido já foi enviado ao Planejamento e aguarda a resposta em até 30 dias úteis.

Atualmente, o Instituto luta conta o déficit de pessoal e as crescentes aposentadorias. Há mais de 10 mil servidores em condições de se aposentar e vacância de mais de 5 mil. Das 4.730 vagas que foram solicitadas, 2.000 são para técnico do seguro social (nível médio), com salário atual de R$4.400,87; 1.580 para analista do seguro social (nível superior), com remuneração de R$7.147,12; e 1.150 vagas para médico perito, com salário de R$10.056,80, que exige formação em Medicina e inscrição no Conselho Regional da profissão.

Para os concurseiros que ainda não iniciaram seus estudos, a boa notícia é que ainda está em tempo, estude.

Publicidade
Publicidade