As nove medidas de cortes de gastos que inclui a suspensão de concursos só entrará em vigor em 2016. Serão afetados 40.389 mil novos cargos que seriam ofertados. Com isso, o governo federal pretende economizar 1,5 bilhões para garantir a meta de superávit primário de 0,7% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2016. 

Assessoria de imprensa do Ministério do Planejamento de Orçamento e Gestão (MOG) afirmou, "Não estão suspensos os provimentos (nomeações), referentes a concursos de 2015, os quais serão assegurados dentro do prazo final de validade dos certames."

Sendo assim, os concursos já autorizados deste ano serão mantidos e acontecerão dentro do prazo estimados.

Publicidade
Publicidade

Veja as relações dos concursos:

  • Instituto Nacional do Seguro Social (INSS): 800 vagas para Técnicos e 150 para Analista do Seguro Social.
  • Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE): 460 vagas para nível médio e 140 para nível superior. 
  • Fundação Nacional do Índio (FUNAI): 208 vagas para Indigenista especializado, 7 para engenheiro e 7 para Agrônomo- todas as vagas  para nível superior.
  • Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC): 65 vagas para especialista de aviação civil (nível superior) , 25 vagas para Analista Administrativo (nível superior), 45 vagas para regulação de aviação civil (nível médio) e 15 vagas para Técnico administrativo (Nível médio).
  • Agência Nacional de Petróleo e Gás Natural e Biocombustíveis (ANP):  14 vagas para Técnico em regulação de petróleo e derivados, álcool combustível e gás natural e 20 vagas para Técnico administrativo.
  • Agência da Saúde Suplementar (ANS): 36 vagas de Técnico de regulação suplementar de saúde e 66 vagas para Técnico Administrativo.

O Ministério do Planejamento informou que não existe a lista de concursos que estavam previstos para 2016.

Publicidade

 Só é divulgado pelo Projeto de Lei Orçamentária (PLOA), os orgãos, a quantidade de vagas, de cargos e os valores que seriam gastos.

O coordenador dos cursos para concursos públicos da Rede LTF, Nestor Tavora, disse para o portal G1, " Quem for estratégico pode ver isso com oportunidade e não como crise. Um ano de estudo ajuda a solidificar o conhecimento. Um ano de restrição significa que as vagas vão ser contingenciadas e que depois vem a fartura, porque estas vagas terão que ser providas". Confira a lista de concursos públicos suspensos pelo governo federal. #Desemprego #Crise econômica #É Manchete!