Apesar de tantos investimentos para que os concursos públicos do país sejam feitos de forma lícita, ainda tem quem consiga burlar toda segurança. Nesta quarta-feira (21), a Polícia Federal (PF) cumpriu um mandato de prisão de 14 pessoas envolvidas em fraudes em provas de concursos públicos para ingressar em várias áreas, em particular no judiciário. Dez dos presos pagaram o valor equivalente a dez vezes acima do que iriam receber como salário nos cargos pretendidos. Os estados onde ocorreram as prisões foram: São Paulo, Pará, Alagoas, Rio de Janeiro e Rondônia, na operação denominada de Afronta.

O delegado Victor Rodrigues Alves Ferreira falou que a Polícia Federal já vinha fazendo essa investigação há quatro meses.

Publicidade
Publicidade

Segundo o mesmo, 50 estão sendo investigados. O líder da organização criminosa, que não teve seu nome divulgado para não atrapalhar as investigações, ainda se mantêm foragido. O delegado ainda falou que o líder é de Alagoas, mas vive entre São Paulo e Rondônia. No que foi investigado, esse grupo agia a quatro anos. Se caso condenados, poderão pegar quatro anos de reclusão e responder por formação de quadrilha. A observação de cada caso será submetida  a todos os candidatos envolvidos.

Victor Rodrigues, delegado responsável, ainda afirma que existe uma ligação entre os organizadores do concurso público com os tribunais. A afinidade dos textos discursivo das provas dos candidatos da cidade de Sorocaba, aos quais concorriam a cargos de analistas judiciários e técnico judiciário, foi o que levou a desconfiança da frade pelo Tribunal Regional Federal da Terceira Região.

Publicidade

Uma das formas de conseguirem as questões era inscrever um integrante da organização criminosa. A sua função era só entrar e fotografar as questões com uma microcâmera e depois de uma hora sair e repassar as respostas já corrigidas para os candidatos que haviam lhes pago, eles recebiam as respostas por meio de um ponto eletrônico, que segundo o delegado era tão seguro que era necessário um imã na hora de retirá-los. #Curiosidades