O Ministério da Saúde anunciou a disponibilidade de mais de 2 mil #Vagas no programa Mais Médicos, voltadas para profissionais formados em universidades brasileiras ou que tenham o diploma revalidado no país. 

As inscrições estão abertas até à próxima sexta-feira, 15 de janeiro, através de formulário online disponível no site oficial do programa. No dia 25 de janeiro, o Ministério divulgará a lista final com as vagas para que cada candidato escolha a cidade de seu interesse.

Atualmente, o programa conta com mais de 18 mil profissionais atuando em 4 mil localidades, incluindo cidades de todos os portes. De acordo com a equipe de gestão do programa, novas vagas serão anunciadas e disponibilizadas a cada trimestre, em geral para suprir as desistências que atualmente giram em torno de 5%, índice considerado baixo pelo governo. 

Os médicos que participam do programa recebem uma remuneração mensal conhecida como "bolsa-formação" de R$ 10.000,00, além de benefícios extras proporcionais ao tempo de permanência na localidade que escolheram para trabalhar. 

Maiores informações sobre o Mais Médicos, bem como a respeito do processo seletivo podem ser obtidas através do edital disponível no site do programa, em formato PDF, ou através do telefone 136 (opção 8). 

São Bernardo

De acordo com a Prefeitura de São Bernardo do Campo, cidade localizada na Grande SP, o corpo médico municipal conta atualmente com 39 profissionais oriundos do programa Mais Médicos, todos atuando nas unidades básicas de saúde (UBS) de bairros como Taboão, Vila Euclides, Silvina, Ferrazópolis, Alvarenga e Riacho Grande.

Publicidade
Publicidade

Com a nova convocação por parte do Ministério da Saúde neste mês de janeiro, a expectativa é receber ao menos outros 10 profissionais para expandir programas de atendimento, como o Médico da Família, nas localidades mais afastadas do centro.  Em 2014, São Bernardo recebeu autorização para instituir o primeiro curso de Medicina do município, sob tutela da Faculdade das Américas (FAM). Os primeiros alunos se formarão somente no final de 2020.  #sistema de saúde