A Empresa de Correios e Telégrafos (ECT), desde o inicío do ano do passado, faz pressão ao governo Federal para a abertura de novo concurso público, para desafogar o acumulo de serviços na estatal.

Segundo os funcionários, a situação é precária e piora a cada dia. A falta de pessoal em todas as demais repartições se transforma em um fator indispensável para o nivelamento das atividades, gerando insatisfação geral.

Logo nos primeiros dias do mês de março houve uma pequena negociação, que estabeleceu uma trégua, ou seja, os profissionais dos Correios resolveram de forma pacífica aguardar até uma assembleia previamente agendada para o dia 4 de abril.

Tudo isso, para manter a ordem pública dos trabalhos, pois uma paralisação naquele momento só iria atrapalhar o planejamento do governo.

Publicidade
Publicidade

Mas, naturalmente foi acordado junto ao Sindicato dos Trabalhadores da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (SINTECT-SP), que seriam analisadas as reivindicações de toda a coletividade, apresentando propostas concreta para os problemas.

O fato é que até o momento não houve nenhuma notícia por parte dos órgãos federais. Restando aos organizadores e líderes sindicais decidirem conjuntamente com a categoria em assembleia geral as medidas adotadas.

Não seria interessante, politicamente falando, uma paralisação com indicativo de greve geral para o governo nesse exato momento. Mas, segundo o Sindicato, será a decisão mais acertada em função da omissão das perspectivas apresentadas ao ECT.

Para melhor noção, os trabalhadores em reivindicação lutam praticamente pela sobrevivência, exigem o mínimo necessário estabelecido pela Constituição Federal.

Publicidade

Além disso, ainda no mesmo contexto, a classe realizou estudos com a finalidade de amenizar as perdas e roubos em decorrência dos assaltos emergentes. Tais medidas sugerem a ampliação da escolta armada e a implementação de chips nas encomendas.

Ainda demonstrado pelos profissionais, os problemas primordiais de interesses sociais que impedem o bom desempenho profissional e mobilizam a luta da categoria estão presente em:

  • A redução/extinção de distritos e os postos de #Trabalho;
  • Falta de pessoal (funcionários) proporcionando as dobras constantes;
  • Péssimas condições e instalações em parte dos prédios das unidades;
  • Atrasos quanto aos desmembramentos de unidades;
  • Ingerência no ECT, gastos com aluguéis em setores vazios, que poderiam servir para outras atividades;
  • SDs maquiados e irreais;
  • Resistência da empresa em implantar a entrega matutina em unidades distintas.

Portanto, não há como negar, o sistema dos Correios precisa de reformulações, melhorias, benfeitorias, na verdade, em todos os aspectos, principalmente na segurança.

Publicidade

Ademais, como exigir qualidade sem oferecer boa estrutura de trabalho? O Ministério do Planejamento deve divulgar a autorização para concurso público com urgência, afinal, o governo não será capaz de solucionar o problema quando a greve for anunciada. A valorização do emprego público e dos cidadãos que compõe a esfera publica é fator essencial para o crescimento do país.

Se você está interessado em oportunidades de trabalho, clique aqui. #Vagas #Edital