A Fundação Nacional do índio (FUNAI) divulgou P, nesta segunda-feira, o edital para de concurso público, onde serão oferecidas 220 vagas de Ensino Superior para Engenheiro Agrônomo, Agrimensor e Civil, Contador e Indigenista Especializado (sendo este qualquer formação superior).

A seleção dos candidatos será através de provas objetivas e discursivas, tendo uma validade inicial de um ano, após o resultado final. A remuneração é de R$ 5.345,02 ou R$ 6.330,31. As vagas são oferecidas para unidades nos estados do Acre, Amapá, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Rondônia e Roraima.

A taxa de inscrição para o concurso será de R$ 100 ou RS 120, e os interessados poderão se inscrever no site da ESAF (www.esaf.fazenda.gov.br), organizadora do concurso, entre os dias 02 e 16 de maio.

Publicidade
Publicidade

Caso o candidato queira pedir taxa de isenção, deverão seguir as regras do edital.

As provas serão realizadas no dia 07 de agosto em dois turnos, nas cidades de Rio Branco, Cuiabá, Maceió, Sinop, Manaus, Belém, Tabatinga, Altamira, São Gabriel da Cachoeira, João Pessoa, Macapá, Recife, Salvador, Teresina, Fortaleza, Curitiba, Brasília, Rio de Janeiro, Vitória, Natal, Goiânia, Porto Velho, São Luís, Ji-Paraná, Imperatriz, Boa Vista, Belo Horizonte, Porto Alegre, Florianópolis, Campo Grande, Aracaju, Dourados, São Paulo e Palmas.

A prova discursiva será o desenvolvimento de estudo, sobre matérias integradas ao conteúdo especifico de cada cargo. O texto redigido pelos candidatos deverá ter entre 45 e 60 linhas.  

CARGO – INDIGENISTA ESPECIALIZADO

Este cargo requer apenas qualquer diploma superior, não especificando uma área certa.

Publicidade

A remuneração é de R$ 5.345,02, a área de Contador também terá a mesma remuneração. Já as outras áreas o salário é R$ 6.330,31.

ATRIBUIÇÕES DO CARGO

‘’ Cabe ao Indigenista Especializado atividades de promoção e defesa dos direitos assegurados pela legislação brasileira às populações indígenas, sua proteção e melhoria da qualidade de vida; realização de estudos voltados à demarcação, regularização fundiária e proteção de suas terras; regulação e gestão do acesso e do uso sustentável das terras indígenas; formulação, articulação, coordenação e implementação de políticas dirigidas aos índios e suas comunidades; planejamento, organização, execução e avaliação de atividades inerentes à proteção territorial e ambiental das terras indígenas; acompanhamento e fiscalização das ações desenvolvidas em terras indígenas ou que afetem direta ou indiretamente os índios e suas comunidades; estudos e pesquisas sobre a história  dos povos indígenas e do indigenismo; bem como atividades administrativas e logísticas, de nível superior, inerentes às competências institucionais do órgão indigenista e da unidade de lotação.’’

VAGAS – COTAS

Das 220 vagas oferecidas, 12 são para candidatos com deficiência e 44 para candidatos negros e pardos. #Educação #Desemprego #Curso