No próximo mês, o Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) realizará concurso para duas carreiras de nível médio e superior: técnico de seguridade social e assistente social. Contudo, os candidatos que não se sentirem preparados para ficar dentro do número de vagas ou até mesmo não sejam chamados dentro do prazo de validade não precisam se desesperar. Há uma nova #Seleção em vista, com oportunidades em diversas áreas. Segundo o site de concursos Folha Dirigida, haverá chances para até 7.351 #Vagas, que já foram solicitadas ao Ministério do Planejamento.

O Ministro do Trabalho e Previdência Social, Miguel Rossetto, encaminhou na última sexta-feira, dia 15, uma solicitação para mais vagas, que no momento se encontra na Coordenação-Geral de Carreiras, Concursos e Desenvolvimento de Pessoas, que é da União.

Publicidade
Publicidade

O documento informa que são necessárias 3.627 para técnico de nível médio, 2.194 para analista de nível superior e também 1.530 para perito médico, visando contratar graduados em Medicina com registro em órgão de classe.

De acordo com o ministro, em entrevista para a imprensa, a expectativa é de que o concurso acelere o trabalho do setor previdenciário, já que a recessão que o Brasil enfrenta está levando empresas a demitir e muitas dessas pessoas precisam ver questões de aposentadoria e perícia nas agências. O concurso também irá sanar a necessidade de mais peritos médicos, que avaliam trabalhadores afastados por saúde ou acidente.

Rosseto declarou que é provável que a seleção para perito ocorra ainda em 2016, mesmo com a crise política e econômica.

Remunerações

Os servidores concursados serão regidos pelo regime estatutário, conforme manda a lei federal 8.112, e receberão remuneração mensal de R$ 5.344,87.

Publicidade

Já os analistas ganham R$ 7.954,09. O valor de ambos é resultante do vencimento mais benefícios.

Quem decidir concorrer para médico irá receber R$ 10.616,14, que é o valor somado de R$ 5.256,54 de vencimentos mais a gratificação de desempenho, que paga R$ 4.901,60, além do vale-refeição.

Alta necessidade explica concursos

Uma das razões da “correria” atrás de aprovações de vagas para o INSS é que a autarquia passa por um intenso processo de sucateamento, que já foi relatado pelos próprios funcionários. Eles chegaram a fazer algumas paralisações e greves no último ano devido ao excesso de trabalho e perdas salariais. Hoje, o instituto precisa de mais de 3 mil novos servidores para trabalhar com urgência.

O INSS conta atualmente com 4 mil peritos, número insuficiente. O mínimo necessário para operar são 6 mil. A última seleção do INSS para este cargo foi feita em 2011, organizada pela Fundação Carlos Chagas (FCC). Contudo, foram contratados apenas 375 novos médicos. #Edital