No último domingo, foi aplicada na cidade do Sul Fluminense a prova do concurso público para a Câmara Municipal de Paraty por meio da banca organizadora NetEduc. A empresa foi acusada por alguns candidatos de copiar questões da internet e apresentar perguntas  com possibilidade de mais de um gabarito. Os participantes do concurso afirmaram que estão em busca de uma solução, vão pedir recurso e, caso não sejam atendidos, acionarão o Ministério Público.

Ouvido pelo Blasting News Brasil, Leonardo Cipolli, presidente da empresa, esclareceu o fato, que foi apontado por diversos candidatos que se ficaram insatisfeitos com a aplicação da prova.

Publicidade
Publicidade

O primeiro foi a questão das perguntas repetidas, que foram encontradas na internet.

"Em nenhum momento o edital de licitação informa de que as perguntas devem ser inéditas. Nossa empresa tem mais de 15 anos trabalhando com concursos públicos. É comum empresas de pequeno e médio porte trocarem questões entre si, mas isso não é uma prática ilegal", garantiu o empresário.

Outra situação que deixou os participantes indignados, segundo o relato deles, foram fiscais que emprestaram canetas para os participantes da prova e cumprimentaram pessoas que estavam na sala.

"Nós contratamos funcionários da escola onde foi aplicada. Inclusive, membros da comissão de concurso e a diretora da instituição estavam presentes. Tratamos esse trabalho com muita seriedade. Esse é um dos primeiros concursos que fazemos no estado do Rio de Janeiro", esclareceu Leonardo.

Publicidade

O concurso

O concurso público para a Câmara de Paraty foi voltado para preencher seis #Vagas no Legislativo municipal: almofarixe, auxiliar de plenário, técnico em arquivo, contador, jornalista e procurador jurídico. O resultado das provas será divulgado amanhã, dia 18. Já o prazo para recursos fica aberto entre os dias 19 e 20 de maio. Os candidatos saberão a classificação final no dia 22 do mesmo mês.

As oportunidades abertas pelo município oferecem remunerações que variam de R$ 1.500 a R$ 2.800 e as contratações ocorrerão pelo regime estatutário, que garante estabilidade empregatícia. #Seleção de Futebol #Empregos