Dizem que concurso público você não faz para passar, mas faz até passar. Assim aconteceu com a jovem Gabriela Melo, de 30 anos, técnica em informática, que estudou durante 10 anos, teve 30 reprovações, mas não desistiu até conseguir uma vaga e ingressar na Polícia Federal. 

Durante esse período, ela conseguiu ser classificada e foi chamada para assumir três cargos. Concursos para Polícia Rodoviária Federal (PRF), Agência Nacional do Cinema, Petrobras, Empresa de Tecnologia e Informações da Previdência, Ministério do Trabalho, Polícia Federal, Departamento Previdenciário, foram alguns que ela fez a prova mas não conseguiu ser aprovada. 

Tudo começou em 2004

Gabriela começou a fazer concursos públicos no ano de 2004, quando participou do concurso para o Instituto Nacional da Propriedade Industrial (Inpi), onde foi reprovada.

Publicidade
Publicidade

Mas continuou estudando e sua primeira aprovação veio só três anos depois, em 2007, em sua área de formação, como cabo na Marinha. Trabalho que lhe deu oportunidade de ajudar os pais e de pagar a faculdade. Mesmo sabendo que seria promovida a sargento, em 2013 resolveu largar tudo para se dedicar aos estudos e aumentar as chances de conseguir realizar o sonho de ingressar na Polícia Federal. Abandonou a carreira militar e voltou a morar com os pais. 

Logo depois vieram mais reprovações, na prova discursiva para o concurso da Polícia Civil do Distrito Federal  e no concurso para Polícia Rodoviária Federal. Posteriormente foi reprovada na seleção da Polícia Civil do Rio de Janeiro, após lesionar a coluna, momento em que havia emagrecido e estava alcançando os índices exigidos nos testes de aptidão física. 

Em 2014, mais um obstáculo veio na vida da estudante, teve problemas com pedras na vesícula, que a impediam de prestar concursos onde houvesse testes de aptidão física.

Publicidade

Foi onde surgiu o concurso para agente administrativo da Polícia Federal e ela resolveu fazer, por não exigir os testes físicos. E qual não foi sua alegria ao conseguir ser aprovada após dez anos de estudo e dedicação. Eram 23 vagas de níveo médio e concorreu com mais de 32 mil candidatos. Após seis meses da divulgação final foi convocada para tomar posse. 

Após isso já foi aprovada para o Ministério do Trabalho, como agente administrativo, mas pretende seguir na Polícia Federal e construir carreira lá dentro. 

Métodos de estudo

Gabriela recomenda organização e direcionamento na maratona de estudos para concursos. É preciso ter foco e uma programação diária de estudo. No início dedicar uma média de 4 horas já é uma boa opção, e ir aumentando esse tempo aos poucos. 

Faltando um mês para as provas, ela recomenda fazer revisões e resolver questões de provas anteriores.  #História #Dicas #Empregos