O conceito que (sempre) se teve de uma boa redação é aquela em que o escritor envolve o leitor a ponto de deixá-lo impressionado e que alcance o patamar de perfeição. Diga-se de passagem que tal fato é uma realidade, mas para alcançar essa qualidade é necessário utilizar técnicas corretas. 

É preciso possuir uma boa caligrafia, respeitar as regras de acentuação, pontuação, ortografia e gramática. Além, é claro, de conhecer e saber argumentar sobre o tema proposto.

O receio da cobrança de redação por parte das bancas organizadoras aterrorizam os concurseiros, a ponto de muitos desistirem dos certames. É comum os candidatos se sentirem preparados para a etapa objetiva e totalmente desacertados quanto à subjetiva.

Publicidade
Publicidade

É preciso esclarecer que existe uma maneira ímpar de se aprender a redigir bem: a prática.

Vejamos as dicas localizadas:

1 – A leitura é essencial, além de enriquecer o vocabulário do leitor, ela ativa a memória visual, evitando os erros ortográficos;

2 – O hábito de redigir diariamente, qualquer espécie de texto, desenvolve o recurso da escrita. Ajudando a letra a se tornar mais legível e bonita, mas isso não é fundamental , pois a beleza da letra sem conteúdo se torna vácuo;

3 - A prática conduz à perfeição. Produzir textos com temas já cobrados em provas de #CONCURSO contribui para o desenvolvimento crítico;        

4 -  Desenvolver o senso crítico, relendo os textos já produzidos, e deixando-os sem excessos;

5 -  Controlar o tempo gasto na produção de um texto;

6 – Seja objetivo, evite o cansaço;

7 – Respeite as regras para produzir o texto, dentre elas o limite das linhas e das margens;

8 – Mantenha o mesmo padrão de escrita do início até o fim;

9 - Tenha sempre coerência e coesão;

O texto tradicionalmente cobrado em exames é o dissertativo e ele possui uma estrutura que deve ser respeitada, são elas: introdução, argumentação e conclusão.

Publicidade

A primeira trata da apresentação do que será discutido no desenvolvimento e dado como conclusão ao fim do texto. A inversão dessa ordem torna o texto inapropriado, podendo (inclusive) causar a desaprovação.

Além disso, não se deve deixar esquecidas a coerência e a coesão, pois são dois conceitos de suma importância para um texto de qualidade. Um mesmo texto pode parecer coerente (interpretável) para um leitor/ouvinte e não para outro.

Conclusão

Diante do que foi discutido, fica claro que não importa uma letra lindíssima sem conteúdo. É preciso considerar em primeiro plano se expressar bem, compreender o tema proposto, utilizar os recursos da coerência e coesão, além de uma respeitável argumentação. #redação em concursos #dicas de redação