A crise econômica apavorou pessoas de todas áreas no Brasil. Alguns privilegiados, por outro lado, comemoraram e aproveitaram as altas taxas de juros para fazer investimentos e ver seu dinheiro se multiplicar, como foi o caso de quem aplicou em títulos públicos. E pasmem! Estes papéis tiveram invejáveis 53% de rentabilidade só no ano de 2016, fato que confirmou as prospectivas feitas pelos especialistas do setor. Tomamos como referência o Tesouro IPCA+2035, de acordo com informações da Revista Exame, em 04 de janeiro de 2017.

Mas para quem não tinha ano passado nenhum patrimônio acumulado, este fato pouco importou. Aliás, com a crise, as taxas de juros subiram às alturas e o índice de #Desemprego ganhou destaque na mídia.

Publicidade
Publicidade

Para o cidadão comum sobrou amargar todos os dissabores resultantes do desmantelo e mais uma vez recorrer à criatividade. Isso mesmo: Criatividade. Afinal de contas, com crise, sem crise, todo mundo precisar comer, vestir, calçar e pagar as contas mensalmente. A conhecida frase: "brasileiro não desiste nunca!", bem que poderia ser substituída pela "brasileiro tem que se virar sempre!"

Neste cenário pouco animador, uma grande parcela de desempregados recorre aos concursos públicos na ânsia de, finalmente, conseguir uma colocação que lhes garanta tanto renda como estabilidade.

Acontece que o Projeto de Lei 332/2012 da Senadora Ana Amélia do PP do Rio Grande do Sul poderá trazer boas notícias, caso seja aprovado, pois prevê a isenção da taxa de inscrição em concursos públicos federais para pessoas que se declararem isentas da Declaração Anual de #Imposto de Renda, quando no momento da inscrição.

Publicidade

A veracidade da declaração do candidato será averiguada e caso haja inverdade, sofrerá todas as sanções cabíveis.

Para a senadora, o cidadão desempregado, com poucos recursos, será aliviado deste peso, que é o pagamento da taxa, tendo em vista sua condição financeira desfavorável. A possibilidade de pleitear uma vaga com isenção ampliará as chances dos candidatos, que, muitas vezes, têm que escolher qual tentativa fazer diante da falta de dinheiro. #CONCURSO