Conforme a análise de críticos e observadores, o Brasil passa pelo seu pior momento político, econômico e de falta de credibilidade nas instituições e poder público, como bem comprovam as notícias sobre corrupção que acometem os governantes, empresários e até boa parte da liderança religiosa, apoiadora dos nomes que estão no poder no Planalto Central.

Mas, independente da percepção e atribuição de valores de cada um sobre o quadro em que cada cidadão que aqui viva e esteja mergulhado, uma coisa é fato, a saber: o desemprego continua crescendo pelos quatro cantos da nação.

Sendo assim, inclusive para as pessoas que se encontram trabalhando e, principalmente, para aquelas que estão desempregadas, qualquer oportunidade de recolocação no mercado de trabalho é sempre bem-vinda, ainda mais se for o que os indivíduos estão chamando de “emprego real”.

Publicidade
Publicidade

Mas, como assim, emprego real?! Trata-se da abertura de vaga feita pela realeza britânica no portal do “LinkedIn”. Mais especificamente a posição em questão foi anunciada pelos príncipes William, Harry e a esposa do primeiro, Kate Middleton.

Para muitos é o emprego dos sonhos poder trabalhar com a realeza de verdade de uma nação europeia. De acordo com a publicação “US Weekly”, os três jovens com títulos da monarquia britânica estão buscando um Chefe de Mídias Sociais, o qual irá exercer suas atividades na “The Royal Foundation”.

Vale frisar que o local de trabalho na Fundação acima citada é no próprio Palácio de Kensington.

Os candidatos interessados em concorrer nesse processo de recrutamento e seleção, obrigatoriamente, terão que reunir algumas características prévias que possam compor o perfil profissional desejado, assim como em qualquer seleção considerada “normal” ou para os plebeus.

Publicidade

Destacam-se as seguintes habilidades requeridas: unificar o fluxo no dia a dia das notícias veiculadas pela mídia em geral, de modo totalmente proativo e, assim, garantir que sejam exatas; o candidato escolhido terá que dar destaque às chamadas principais da imprensa; deverá organizar e ainda apresentar o material produzido quanto às notícias de forma rápida e concatenada.

Tal comunicador sênior também deve ter uma veia para a pesquisa, uma vez que os projetos de cunho especial contribuirão para fomentar discussões consideradas estratégicas e darão suporte a toda equipe de comunicação da família real.

Por outro lado, talvez a característica profissional mais requerida em relação à vaga é que a pessoa que a conquistar seja extremamente discreta sobre qualquer assunto relativo ao palácio da realeza e seus ocupantes. #Seleção de Futebol #Europa #Trabalhar no exterior