Em 3 de junho de 2004 morria Thomas Börje Forsberg, mais conhecido como Quhorton, que durante vinte anos teve uma banda de um homem só, chamada Bathory. O nome foi uma homenagem à condessa Erzsébet Báthory, talvez a maior serial killer da Hungria. Gravou doze álbuns com o nome Bathory e os três primeiros são considerados até hoje um marco na história do Black Metal. Bathory, o primeiro, chocou toda a Europa, em virtude de sua sonoridade agressiva e técnica e de letras satânicas influenciadas pelos primeiros trabalhos do Black Sabbath.

Em uma de suas entrevistas Quhorton diz que o som não veio do Slayer ou do Venom, como se supôs na época, e sim de Motorhead, com o álbum Ace of Spades e do GBH, no álbum City Baby atacked by rats.

Publicidade
Publicidade

O segundo álbum, "The Returns",vem com a mesma proposta. Já o terceiro, Under the Sign, tem uma diferença em relação às letras, em que Quhorton prefere dissertar sobre a guerra em si. Faz homenagem à condessa Bathory com a #Música Woman of dark desires.

Em seguida, e por estudar mitologia nórdica, resolve acrescentar as histórias vikings em suas letras e lança o que foi considerado por muitos seu melhor trabalho. Blood Fire Death seria a transição do black metal dos primeiros trabalhos para a sequência de sua carreira. Durante os anos noventa ele investiu nesta nova fase de sua banda. No álbum Hammerheart chega até a gravar um videoclipe para a música One Road to asa bay. Lança depois o álbum Blood on Ice, que já estava composto desde os anos 80, um álbum conceitual que conta a história de um garoto que tem sua vila dizimada por bárbaros e jura por vingança.

Publicidade

Muito semelhante a história de Conan, o bárbaro.

Acabou lançando grandes álbuns, dois deles sendo como que uma volta às suas origens Black metal, (Requiem e Octagon), outros no estilo viking e Thrash Metal. Bathory jamais realizou shows. Em certa época foi cogitada a ideia de uma turnê com Celtic Frost e Destruction, mas com o passar dos anos Quhorton descartou a ideia de turnês, em virtude de ser impossível reproduzir em um palco suas experimentações em estúdio.

Em 2002,o Bathory inicia uma saga chamada Nordland, formada por quatro partes: os dois primeiros são duas obras-primas do metal. Infelizmente, em 3 de junho de 2004, Quhorton é encontrado morto em seu apartamento, antes de concluir a saga Nordland. Deixou como herança ótimos álbuns e mostrou para todos que para fazer história não é necessário fazer extensas turnês caça-níqueis nem aparecer toda semana na tv. Acredito que agora Quhorton deve estar sentado na mesa de Valhalla junto a Odim e seus heróis. #Opinião