O Prêmio Portugal Telecom de Literatura foi criado em 2003 pela Portugal Telecom, empresa de telecomunicações portuguesa, para premiar e destacar os melhores livros do ano da literatura brasileira. As primeiras edições eram conhecidas como Prêmio Portugal Telecom de Literatura Brasileira, mas o nome foi alterado para assim, incluir na premiação os autores de língua portuguesa.

Melhor livro do ano na categoria romance: Sérgio Rodrigues (O Drible - Editora Companhia das Letras). Além de ganhar como o melhor do ano, o livro também foi considerado o melhor da edição. O autor recebeu R$ 100 mil (R$ 50 mil pelos prêmio e R$ 50 mil pelo título de melhor livro da premiação).

Melhor livro do ano na categoria contos/crônicas: Everardo Norões (Entre Moscas - Editora Confraria do Vento). Valor do prêmio: R$ 50 mil.

Melhor livro do ano na categoria poesia: Gastão Cruz (Observação do Verão seguido de Fogo - Móbile Editorial). Valor do prêmio: R$ 50 mil.

Conheça mais sobre os autores

Sérgio Rodrigues

Esse ano, o autor também foi finalista nos prêmios literários o São e o Jabuti. 'O Drible', livro vencedor da noite conta a história em torno de um drama familiar e futebol. Ele contou em uma entrevista que 'O Drible' nasceu a partir de um conto que ele excluiu de 'O Homem que matou o Escritor' (seu livro de estreia). Aos 52 anos, ele já tem sete obras publicadas. O livro será lançado na França em março.

Everardo Norões

Também foi finalista no prêmio Jabuti esse ano. No Prêmio Portugal Telecom de Literatura concorreu com os autores Antônio Prata, Luís Henrique Pellanda e Alexandra Lucas Coelho. 

Gastão Cruz

Aos 72 anos, o português ganhou o prêmio com seu livro, Observação do Verão seguido de Fogo, que é uma compilação de suas duas obras mais recentes. Concorreu com os autores Zuca Sardan, Ana Luísa Amaral e Guilherme Gontijo. 

Os melhores do ano em 2013 foram: em primeiro lugar, o português Valter Hugo Mãe pelo livro A Máquina de fazer Espanhóis; em segundo, o brasileiro Dalton Trevisan pelo livro O Anão e a Ninfeta; e em terceiro lugar, Nuno Ramos pelo livro Junco. #Entretenimento