Crer para Ver,  é isto mesmo, caro leitor, não inverti a frase por engano, quis dizer exatamente: "CRER PARA VER". Explico: ver para crer de São Tomé é muito simples e não requer esforço. Nenhum raciocínio, nenhuma imaginação. Se você acredita numa coisa porque vê é apenas um ato de percepção.

É a adequação do conhecimento com o objeto conhecido. Abstraindo a hipótese de os nossos sentidos, às vezes, nos enganarem, aquele que espera ver para crer é simplista, para não dizer simplório acomodado, para não dizer parado, pusilânime, para não dizer covarde. Nem sempre o que vemos é o que é, nem sempre o que ouvimos é aquilo que foi dito.

Publicidade
Publicidade

Os nossos sentidos não são tão confiáveis como parecem. Devemos buscar realizar as coisas nas quais acreditamos, fazer planos, traçar estratégias, imaginar resultados e fazê-los acontecer.

Quem espera ver para crer não tem participação, não exercita o raciocínio, a inteligência. Apenas aceita o que vê perante seus próprios olhos. quem crer para ver, contribui para que o fato aconteça. Fica prenhe de idéias. Seu olhar vê a fantasia. sua coragem constrói sua Utopia. a realidade imaginada, concretizada diante dos seus olhos. Sua satisfação extravasa, pois tem à sua frente o resultado de sua parturição, do seu trabalho, da sua ousadia, do seu destemor, do seu amor.

No dia a dia vemos pessoas dos dois tipos. Por um lado, aqueles que esperam que as coisas aconteçam e fazem uma adesão "a posteriori".

Publicidade

Um ato de constatação. São pessoas que não ousam abrir novos caminhos, "combater um bom combate", dedicar-se a uma causa e lutar por ela fazendo-a vitoriosa. Têm medo do risco do desconhecido. Só palmilham sendas já desbravadas "mares, dantes navegados". Por outro lado, e é para estas pessoas a nossa admiração, têm no olhar o fogo do desejo, o lume da esperança. Vislumbram no caminho por trilhar uma luz: a sua estrela guia. Dão azo à sua imaginação e à sua criatividade. Descobrem soluções originais, realizam fatos inéditos, inventam, constroem o conhecimento, exercitam a cooperação. Deixam assim novos caminhos a serem trilhados por outros e o seu exemplo é decisivo para as futuras gerações. Estes são os PROFETAS.