O Facebook engana muito. Existe tanta gente achando que tudo que ocorre na rede social é novidade que fica parecendo que selfie, fofoca, olho gordo, joguinho e os #Gatos são uma novidade desse século. Nada mais enganoso. Tomemos o exemplo dos gatos. Parte do apelo das centenas de fotografias e vídeos compartilhados foca em dois elementos: gatos são fofos e gatos são estranhos. Que é o que nos importa:

Gatos não parecem pertencer a lugar nenhum. Dentro de casa, parecem estar sempre imaginando estarem em uma floresta e do lado de fora, parecem estar constantemente deitados em uma almofada para limparem-se calmamente.

Na #Literatura, temos exemplos notáveis e não estou falando somente do Gato de Botas.

Publicidade
Publicidade

Vejam que o poeta americano T.S. Eliot escreveu um livro inteiro de poemas para os gatos, enumerando suas características e até mesmo descrevendo a dificuldade em dar um nome para um gato. A dica é que os gatos têm mais de um nome e um deles, o verdadeiro, é secreto.

Antes dele, Kipling, o criador do Mogli, havia criado uma série de lendas para o filho dormir e em uma dessas histórias, conta como foram domesticados o cão, cavalo e o boi. Na hora do gato, a primeira mulher é obrigada a participar de um jogo e é derrotada pelo felino, que faz questão de afirmar: eu ando sozinho e todos os caminhos são iguais para mim. Assim, o gato nunca seria domesticado.

É como o sorridente gato de Alice no País das Maravilhas, que constantemente não está e está em um lugar.

Enfim, temos os gatos de Neil Gaiman.

Publicidade

Quando escrevia o Sandman, incluiu uma história em que os gatos sonhavam e o personagem principal surgia como um gato negro que incentivava os felinos a sonharem com um mundo onde eles fossem os senhores e os homens os #Animais de estimação. Na novela infantil Coraline um dos personagens que ajuda a personagem principal a escapar do mundo criado pela vilã da história é um gato, que, ao contrário dos humanos, é capaz de ir e vir da realidade para o mundo imaginário, como se fosse um só lugar para ele.

Por isso, não ache que é algo original ou estranho encontrar tantos gatos no Facebook. Eles já estavam fazendo isso, há muito, muito tempo atrás.