O filme 'A Entrevista' estreou com grande sucesso de público, após toda a polêmica em torno de seu lançamento. Nos Estados Unidos, a estreia aconteceu em 300 cinemas independentes na quinta (25) e arrecadou aproximadamente um milhão de dólares.

O filme é uma comédia sobre o assassinato de Kim Jong-un, líder da Coreia do Norte. Ainda há suspeitas de que o lançamento do filme tenha sido o motivo do ciberataque sofrido pela Sony Pictures no dia 24 de novembro. Hackers do grupo Guardians of Peace (GOP) invadiram o banco de dados da companhia e divulgaram na internet, entre vários dados, e-mails trocados entre os executivos da Sony e roteiro do filme inédito de James Bond.

Publicidade
Publicidade

Ataque que rendeu à companhia um prejuízo de duzentos milhões de dólares.

Através de um comunicado divulgado na sexta-feira (26), Rory Bruer, presidente de distribuição da Sony Pictures Entertainment, disse que foi fantástica a reação do público, mesmo o filme tendo sido exibido em menos de dez por cento dos cinemas previstos inicialmente.

Entenda a polêmica

Após o ataque, o governo dos Estados Unidos culpou a Coreia do Norte pelo acontecido, devido ao lançamento do filme 'A Entrevista', mas o GOP reivindicou o ataque. Além de vazar dados da Sony, o grupo ainda ameaçou atacar os cinemas que exibissem o filme. Então, as salas de #Cinema se recusaram a exibir o filme, o que fez com que a Sony cancelasse seu lançamento, atitude que foi criticada, inclusive, pelo presidente Barack Obama.

Publicidade

A confusão não parou por aí. Após os Estados Unidos acusar a Coreia do Norte de estar ligada ao grupo de hackers, o governo coreano ameaçou, em um comunicado, na segunda-feira (22), atacar a Casa Branca, o Pentágono e todo o território americano, sem explicar a que tipo de ataque se referiam.

Na segunda-feira (22), três dias depois do presidente dos EUA declarar que os Estados Unidos responderiam ao ataque sofrido pela Sony, a internet da Coreia do Norte ficou fora do ar por aproximadamente 9 horas. Ontem (26), o governo coreano atribuiu o acontecido ao governo americano e acusou Obama de agir como um 'macaco em floresta tropical'. Na mesma noite, a internet na Coreia do Norte foi interrompida novamente.