Roberto Bolaños, eternizado nos papéis de Chapolin e Chaves, no ar até hoje na televisão brasileira, no canal SBT, faleceu aos 85 anos na sexta-feira, 28 de novembro. Para prestar uma homenagem ao ator que fez parte da infância de tantas gerações no Brasil, o Memorial da América Latina preparou uma exposição surpresa e relâmpago que recria a vila da série Chaves.

A exposição seria encerrada já no dia 30 de novembro, mas o sucesso foi tão grande que o Memorial se viu obrigado a prorrogá-la. No dia 30, por exemplo, estima-se que mais de 10 mil pessoas tenham passado pelo local para prestigiar Bolaños, conhecer a reprodução da vila do Chaves e tirar várias selfies.

Publicidade
Publicidade

Por isso, a exposição fica em cartaz até o dia 7 de novembro, próximo domingo.

A mostra ocorre no Pavilhão da Criatividade do memorial da América Latina. João Batista de Andrade, presidente do Memorial, afirmou que tamanho sucesso apenas confirma a força que Bolaños tem no Brasil até hoje. Com histórias e dramaturgia simples, esse sucesso conseguiu mostrar que ele falou diretamente com milhares de pessoas.

O cenário remonta cada detalhe da vila do Chaves e a exposição fica aberta entre 9h e 18h, com exceção da segunda-feira. A entrada para a Mostra é totalmente gratuita. A área que mais faz sucesso no cenário é o clássico barril de Chaves, que permite que os visitantes tirem uma foto dentro dele.

A mostra foi montada pelo SBT e faz parte da exposição "SBT Compartilhe". Além da vila do Chaves, a exposição também traz curiosidades e cenários de outros programas da emissora.

Publicidade

Chaves não fazia parte da exposição e o espaço foi reorganizado às pressas após o falecimento de Bolaños.

O Memorial também traz em seu espaço um painel multimídia que exibe aos visitantes alguns dos melhores momentos da série. A fila para entrar no lugar é de até 2 horas de espera e promete ser ainda maior em seu último fim de semana em cartaz.

Além de ser uma exposição gratuita, o Memorial da América Latina também é um local acessível e econômico de visitar, pois fica ao lado da estação do metrô Barra Funda. Por isso, vale usar o transporte público para conhecer a exposição!