Alguém consegue mensurar o quanto perdemos em atrasos, tanto no âmbito pessoal quanto profissional? O atraso está enraizado em nossa cultura (brasileira) e estrangeiros, quando estão em nosso território, relatam que é o primeiro fator que destoa em nossa sociedade, em comparação com Americanos e Europeus, mais ainda quando é no sentido profissional.

Desculpas

Existe uma lista de velhas desculpas utilizadas por pessoas que costumam chegar atrasadas ao trabalho. A campeã é o trânsito, até certo ponto coerente, mas em muitos casos se torna costumeira, depois é pneu furado, carro quebrado, levou alguém ao médico, dentre tantas outras.

Publicidade
Publicidade

Pode até parecer absurdo e é absurdo, o atraso custa milhões às empresas, além de causar o estresse entre os companheiros de trabalho, por que quando alguém atrasa, se deixa de produzir durante o atraso, sobrecarregando outro funcionário, o que gera o estresse no funcionário e no setor.

Uma questão de foco e administração do tempo

Um trabalho da World Health Organization, em 2008, demonstrou que as pessoas que se atrasam possuem um déficit de atenção e hiperatividade, o que em diversas vezes causa até o descontrole financeiro, pois existe uma ligação íntima entre o foco e atenção. O déficit de atenção mais a hiperatividade não permitem que estas pessoas foquem na missão de chegar dentro de um horário preestabelecido pois, no meio do caminho há diversas distrações que tiram o foco da sua 'missão', que é chegar em algum lugar dentro do tempo estabelecido.

Publicidade

Educação e antecipação

A pontualidade é uma questão de #Educação, ligada diretamente ao respeito ao próximo, ou seja, em países de primeiro mundo costumam ter cidadãos que sabem aproveitar o seu tempo, respeitando o próximo honrando seus compromissos e horários. Aprenda a dividir seu tempo, há sites que auxiliam na otimização do seu tempo. Utilize agendas, antecipe algumas contas, tente se planejar, mesmo que algo saia do controle, mas, administre seu tempo. Pontualidade não é apenas uma questão de educação, mas de qualidade de vida.