O single era a canção lançada antes do álbum em LP com o intuito de atrair o público para o lançamento deste, que era o produto final para as vendas nas lojas de discos. A 'canção de trabalho' vinha em um pequeno compacto e geralmente era acompanhada de uma faixa extra no chamado 'lado b'. Nos primórdios do rock, os singles faziam muito sucesso e alcançavam grandes êxitos de vendagem, devido ao seu valor mais barato do que o álbum completo e também por contar com a divulgação das rádios, que executavam, insistentemente, as músicas até 'pegar', termo antigo, mas ainda utilizado nas rádios de todo planeta para classificar o sucesso alcançado pelo single.

Publicidade
Publicidade

Foi o sucesso desse formato que motivou o escritor e ilustrador francês Hervé Bourghis a juntar histórias lendárias de gravações de singles do rock. Em '45 Rotações de Rock' (Editora Conrad), Bourghis reúne diversos casos de bastidores sobre 45 singles gravados de 1951, período ainda pré-rock, até o ano de 2005, período da explosão do indie rock, considerado o gênero mais relevante do rock contemporâneo. A obra é uma espécie de fusão entre história do rock, contexto histórico e graphic novel.

Todas as capas dos singles selecionados no livro foram ilustradas por Bourghis de forma monumental para os amantes de quadrinhos. O autor já trabalhou o tema do rock em formato graphic novel numa outra obra de sua autoria: 'O Pequeno Livro do Rock' (também lançado pela Editora Conrad).

Publicidade

O livro foi feito para os fãs incondicionais do rock, sobretudo, para aqueles que apreciam a sua grandiosa história, que em 2015 completará 60 anos, desde o lançamento de 'Rock Around the Clock', clássico de Bill Haley, lançado em 1955 e considerado o marco inicial do gênero, por ter sido o primeiro single a tê-lo levado ao topo das paradas de vendas e execuções nos Estados Unidos. Um dos grandes méritos de Hervé Bourghis foi ter ido além das gravações de singles em 45 rotações. Ele também traz para a obra gravações de singles em EPs, minicassetes, CDs e MP3. Com isso, o autor conseguiu incorporar no livro várias bandas de roqueiros contemporâneos, como Radiohead, The White Stripes, Blur, The Libertines e Artic Monkeys; que reunidos a bandas e artistas clássicos, como The Rolling Stones, Led Zeppelin, Black Sabbath, Elvis Presley, Chuck Barry, The Beatles, e até mesmo os brasileiríssimos Mutantes, dentre muitos outros grupos, tornam a obra ainda mais irresistível e atraente ao leitor. #Música #Livros