O bispo católico Dom Fernando Pugliesi declarou que não sabia que não era permitido celebrar uma união homoafetiva e que faria outro casamento gay sem nenhum problema. Na última sexta-feira, dia 23, o bispo celebrou o primeiro casamento homoafetivo no estado de Alagoas e foi suspenso da ordem.

Em entrevista, Dom Fernando disse que estava afastado da ordem por conta de problemas de saúde, mas foi procurado pelo casal para que a bênção fosse realizada. Ele ouviu o casal e se comoveu com a história deles por serem pessoas humildes, assim, sentiu a necessidade de fazer a bênção. O bispo deixou claro que estando em boas condições de saúde ele celebra outra união gay sem problemas.

Publicidade
Publicidade

Dom Fernando disse que há mais de 40 anos que presta serviços para a #Igreja Católica Apostólica Brasileira e que não deveria ter sido suspenso por ter feito a bênção. Declarou que acha uma loucura ser punido por abençoar o amor, mas que quando receber uma notificação oficial da Igreja irá decidir o que fazer, afinal, ele tem muito tempo de serviços prestados e 82 anos de idade.

Como foi suspenso da ordem, o bispo não pode realizar cerimônias, rezar missas e nem fazer nenhum sacramento pela Igreja Católica Brasileira. Segundo Dom Walbert Rommel Coêlho Galvão Barros, Bispo Diocesano, Dom Fernando tem o prazo de 30 dias para apresentar sua defesa no Superior Tribunal Eclesiástico da Igreja, caso não apresente, além de ser expulso da ordem também pode ser excomungado.

O casal homoafetivo que teve o casamento celebrado pelo bispo preferiu não se manifestar.

Publicidade

Já a Igreja declarou não ser contra as conquistas da sociedade por isonomia e igualdade entre as pessoas, mas considera que somente o casamento entre homem e mulher pode ser celebrado religiosamente.

De acordo com a Igreja, Dom Fernando não teve autorização dos bispos conciliares e nem a liberação da instituição portanto, a cerimônia foi realizada sem o conhecimento do Concílio dos Bispos e do Conselho Episcopal. A instituição considera que a atitude de bispo foi um ato espontâneo, rebelde e irreverente.