Aos 70 anos, sendo mais de 40 deles dedicados à fotografia, Sebastião Salgado anuncia o lançamento de livro sobre o café para maio. O livro condensa, em cerca de 300 páginas, 12 anos de trabalho em várias regiões cafeeiras do mundo. As fotografias serão expostas em tamanho gigante na Exposição Universal de Milão, que este ano tem como tema a alimentação, e ganharão espaço na Bienal de Veneza também.

O fotógrafo nascido em Aimorés, MG, passou a infância numa região produtora de café e trabalhou como economista por dois anos na Organização Internacional do Café, de onde saiu para dedicar-se à fotografia - decisão tomada durante uma viagem à Angola, onde coordenava um projeto sobre a cultura do café.

Publicidade
Publicidade

O tema, portanto, é familiar ao mineiro, que curiosamente não toma café. Ele percorreu nada menos do que dez países para colher registros da produção deste alimento tão aclamado: Brasil, Colômbia, Costa Rica, El Salvador, Guatemala, Tanzânia, Etiópia, Índia, China e Indonésia. A produção de café demanda o trabalho de dezenas de milhares de famílias em todo o mundo, e foi sobre esse aspecto que o fotógrafo lançou seu olhar: "É um trabalho muito humano. É, antes de tudo, sobre as pessoas que produzem o café", disse.

No Brasil, o livro será publicado pela Companhia das Letras.

A fotografia que não veio

Sebastião Salgado costuma dizer que não faz, mas que recebe a fotografia - das pessoas, dos animais, da natureza. E para este trabalho, não conseguiu fazer (ou receber) uma das imagens que desejava: a floração dos cafezais, quando a plantação fica tomada pela coloração branca das flores e pelos insetos atraídos por elas.

Publicidade

O evento, que dura entre dois e três dias, acontece no início das temporadas das chuvas. O fotógrafo esteve no Brasil por duas vezes para captar o momento, mas não conseguiu, pois não choveu.

Sal da Terra

A trajetória de Sebastião Salgado e sua forma de se aproximar dos temas que fotografa é o assunto do filme Sal da Terra, indicado ao Oscar 2015 na categoria melhor documentário. Dirigido pelo genial Win Wenders e por Juliano Salgado, filho do fotógrafo, foi ovacionado em sua estreia no Festival de Cannes, no ano passado. Vamos aguardar. #Livros