Quem nunca passou por uma desavença na casa da sogra que atire a primeira pedra! O que às vezes é um pequeno probleminha, em questão de minutos torna-se uma grande confusão, principalmente quando se tem uma opinião um tanto peculiar: a da sogra.

Segundo o livro de Elizabeth Monteiro, grande parte das crises familiares são decorrentes de duelos entre suas noras e sogras. A autora do livro "Avós e Sogras" coloca em xeque a problemática da divisão que muitas vezes os homens colocam em seus relacionamentos, deixando suas mães interferirem na #Família, o que gera grandes conflitos familiares. O fato acaba se agravando quando os filhos nascem e a educação dos mesmos passa a ser interferida pela auto-experiência declarada pelas sogras, que passam a exercer um papel materno que deveria ser destinado aos reais pais.

Publicidade
Publicidade

Muitas vezes esse zelo excessivo torna-se preocupante, já que passam a reviver uma maternidade que não lhes compete mais, retirando a oportunidade do filho e nora em viver o momento maternal.

Com certeza toda família tem, terá ou já teve uma sogra "extremamente" presente na vida cotidiana conjugal, muitas vezes são bem intencionadas, contudo, muitas podem sim ser mal-intencionadas, tanto pelo fato de não admitirem os filhos fora de casa e terem o prazer de ver a separação entre o casal para que o filho retorne para casa, sendo prazeroso ver a discórdia entre seu filho e a sua nora. Contudo, nem toda sogra é aquela megera que se pensa, existem as zelosas, que são pau para toda obra, e que tornam a vida do casal mais fácil devido às correrias do dia a dia, sem interferir no relacionamento, muito menos na criação das crianças, sendo como verdadeiros "anjos da guarda".

Publicidade

O livro "Avós e sogras" traz uma alusão à nova configuração familiar, reunindo conselhos para a administração de conflitos e zelo pelo bem-estar da criança. Atualmente a expectativa de vida do brasileiro é maior do que em anos anteriores, o que significa que muitas mulheres que antes eram donas de casa hoje se posicionam no mercado de trabalho. Além dessa nova configuração de família brasileira, o número de divórcios aumentou nos últimos anos, o que significa que o estereótipo de família "pai, mãe, filhos" mudou. Muitas vezes o chefe da casa acaba sendo uma figura feminina, exercendo papel decisório frente às decisões. Noras, sogras e filhos precisam zelar pela harmonia e bem-estar da família, e cada qual deve estar no seu galho! #Livros