Em meio a uma série de suspeitas e acusações, principalmente devido a um possível patrocínio de R$ 10 milhões vindos da Guiné Equatorial, a Beija-Flor foi a campeã do #Carnaval carioca. Um dos principais nomes da escola, o sambista Neguinho da Beija-Flor, deu uma entrevista pra lá de polêmica e escancarou a relação do Carnaval com a contravenção.

'Eu sou do tempo que desfile de escola de samba era uma bagunça. Chegou a contravenção e organizou. Hoje eles batem no peito e dizem com o maior orgulho: 'o maior espetáculo audiovisual do planeta'! Agradeçam à contravenção', declarou o sambista. Além disso, ele aproveitou a oportunidade para indicar que poderia haver favorecimento para outras escolas, por exemplo, a Portella que abordou os 450 anos do Rio de Janeiro em seu desfile.

Publicidade
Publicidade

Vale lembrar que esse não é o primeiro caso de patrocínio que acontece em desfiles do carnaval carioca. Em 2006, a Vila Isabel foi campeã com um enredo que tinha como um dos protagonistas Símon Bolivar. A PDVSA, estatal de petróleo da Venezuela, patrocinou com valores estimados entre US$ 500 mil e US$ 1,5 milhão (o valor nunca foi confirmado oficialmente).

Existe também uma suspeita, não confirmada, de que em 2008 a Petrobras ajudou igualmente todas as escolas do carnaval carioca com a doação de 1 milhão de reais a pedido do presidente Lula. Um acontecimento que começa a ser discutido por meio das investigações da operação Lava Jato, que investiga desvios e corrupção na empresa. O repasse, contudo, foi feito sem passar pelo controle de gastos da estatal, já que não havia tempo necessário para responder ao pedido, fazer as licitações e o acompanhamento dos gastos.

Publicidade



Dois pontos devem ser ressaltados nessa questão envolvendo os patrocínios: primeiramente o Carnaval é uma festa de exaltação, os temas abordados, na grande maioria das vezes, buscam fazer grandes homenagens e isso significa separar aquilo que existe de melhor para ser contado. A Guiné Equatorial tem sim muitos aspectos terríveis, principalmente o fato do país ser um dos mais pobres da África e o seu ditador possuir uma das maiores fortunas do mundo, mas isso não excluí sua história.

O segundo ponto é diretamente ligado a fala de Neguinho da Beija-Flor: de que adianta questionar a validade dos patrocínios se antes disso a organização das escolas está diretamente ligada com a contravenção? É sabido que os bicheiros tomaram conta das escolas, investiram muito e transformaram o desfile carioca. Mesmo operando na ilegalidade, nunca foram realmente incomodados a respeito do assunto por ninguém, a famosa vista grossa por parte de políticos, autoridades e até mesmo da população. #Música #Rio Cultura