Dentre os vários ritmos musicais de origem latino-americana e caribenha, a cúmbia se destaca por sua tremenda facilidade de aceitação. Foi assim que ela rompeu as barreiras do seu país, Colômbia, e se tornou, ao longo do século XX, uma das músicas principais do continente americano. A cúmbia surgiu nos guetos das grandes cidades colombianas, sobretudo, na capital Bogotá e em Barranquilla, na década de 1920. Durante os anos 30 e 40 se tornou o ritmo mais querido das classes populares do seu país.

O nome cúmbia é de origem bantu e deriva do cumbé, ritmo e dança da zona da Mbata na Guiné Equatorial e que quer dizer festa.

Publicidade
Publicidade

Sendo seus fundadores descendentes dos africanos, que foram escravizados na região, a cúmbia até hoje é considerada um marco da expressão africana na América, pois se expandiu para quase todos os países falantes do castelhano na América Latina. Ao transcender as fronteiras colombianas, a cúmbia deu origem a muitos outros ritmos, bem diferentes entre si, como, por exemplo: Porros, Chalupas, Chandés, Paseos, Bullerengues, Sones, Puyas, dentre outros.

Outro ritmo originário foi o fandango, que junto com a cúmbia conservou o alumbrado dos ritmos primitivos que os antecederam. Trata-se das vertentes culturais que os formaram, fruto da miscigenação entre índios (nativos), negros (escravos) e brancos (colonizadores). A cultura indígena contribuiu por meio dos instrumentos: maracas, guache e pitos (um tipo de gaita).

Publicidade

Os africanos também contribuíram com instrumentos, sobretudo, os tambores, mas suas influências se deram quase que soberanamente na sensualidade, que emprestaram aos movimentos da dança, bastante sedutora. Já os brancos espanhóis contribuíram com as vestimentas (influência do flamenco), com a maquiagem nas mulheres e com a poesia espanhola, que logo foi adaptada para o canto.

Mesmo com três décadas de sucesso popular, demorou para que a cúmbia despertasse o interesse comercial das rádios e gravadoras de discos colombianas. Isso ocorreu por conta do preconceito que o ritmo sofria das camadas elitizadas da sociedade, que considerava as letras e as danças imorais. No entanto, no ano de 1950 o som da cúmbia foi tocado pela primeira vez numa estação de rádio de Bogotá, gerando uma enorme euforia por parte do povo e uma grande indignação por parte da elite. Porém, não tinha mais jeito. A cúmbia logo se tornou a "menina de ouro" das rádios e obteve bastante êxito de audiência. #História #Música