O quadro Retrato de Isabella D´Este, obra feita pelo célebre pintor renascentista italiano Leonardo Da Vinci, foi localizado e apreendido na Suíça pela polícia da cidade de Pesaro, da Itália. O quadro teria sido localizado na cave (porão) de uma ampla casa, propriedade de uma família suíça abastada. A obra teria sido levada ilegalmente para aquele país que faz fronteira com a Itália.

Conforme informações dadas pelo Núcleo de Tutela ao Patrimônio Artístico de Ancona, há 500 anos as autoridades italianas davam como desconhecido o local onde a obra estava. Ainda segundo o Núcleo, ela teria sido comercializada por um valor de várias centenas de milhões de euros.

Publicidade
Publicidade

Especialistas italianos no estudo e pesquisa das obras de Leonardo da Vinci afirmam que a obra apreendida na Suíça é considerada uma das precursoras da maior de todas as pinturas do artista, a Mona Lisa (La Gioconda). O quadro é considerado o mais famoso entre todas as obras de arte mundiais e está em exposição permanente no Museu do Louvre, em Paris, França.

As investigações sobre o quadro desenvolvidas pela polícia italiana de Pesaro estão sendo comandadas pelo procurador de justiça Manfredi Palumbo. A ação de busca da obra de Da Vinci na Suíça foi festejada por setores ligados à arte e cultura na Itália. O país ressente-se pelo grande número de criações de artistas italianos que foram e continuam sendo levados ilegalmente para outros países. A polícia está atenta para evitar que episódios como este aconteçam, pois foram 500 anos de espera para que a obra de Da Vinci voltasse ao seu país de origem.

Publicidade

O mestre Da Vinci

Considerado talvez o mais completo artista renascentista, Leonardo da Vinci continua sendo um dos que mais orgulha os italianos por suas criações imortais. Sua genialidade está exposta em múltiplas atividades artísticas de vários ramos de criação. Da Vinci é autor da Mona Lisa, o quadro mais festejado ao longo da história, mas deixou ainda um legado de várias outras obas.

Leonardo Da Vinci nasceu em abril de 1452 e morreu em maio de 1519. A recuperação de qualquer obra sua que esteja desaparecida sempre é recebida com grande satisfação pela opinião pública italiana.