Pela diversidade de tradições que as permeiam, a contribuição das culturas populares brasileiras para a #Educação é incomensurável. Da África, ali onde se juntava com o Brasil, na Pangeia, agora separadas pelo oceano, mas religadas pelos saberes trazidos dos sertões africanos para os sertões da Bahia, surge a pedagogia Griô, uma tradição oral.

Contam que antes da chegada dos colonizadores europeus os cantadores guardavam suas poesias em seus lábios grossos, porque a poesia e a música não estavam separadas. Estas histórias eram contadas para todos, de aldeia em aldeia, como ensinamento para crianças, jovens, pais e mães e avós sentados em roda.

Publicidade
Publicidade

Em forma de canções ao ritmo de tambores estas histórias eram passadas de geração em geração, guardando a memória viva dos ancestrais com seus ensinamentos para a vida.

Grãos de Luz e Griô reinventam a figura do 'Velho Griô', uma espécie de biblioteca viva ambulante da tradição oral. Com suas oficinas vem propiciando a dispersão da cultura e tradições de sabedoria garimpadas nas trilhas que ligam a cidade de Lençóis, na Chapada Diamantina, distante 410 Km de Salvador, Bahia.

O Grãos de Luz e Griô educa 160 crianças e adolescentes, a maioria afrodescendentes, em oficinas de saberes baseadas na música e tradições orais da comunidade, arte, turismo comunitário, artesanato em retalhos e papel, teatro e brincadeiras.

Graças a uma rede de Griôs enraizada pelo Brasil esta refinada pedagogia social pode ser espalhada por universidades, pontos de cultura e muito importante em mais de 100 escolas municipais, alcançando em torno de 48 mil crianças com a presença de 700 Griôs e mestres de 14 grupos culturais e mais de 100 pontos de cultura.

Publicidade

Durante muitos anos a grande diversidade de grupos culturais ficou em silêncio, pelas dificuldades econômicas advindas do fim do ciclo da mineração de diamantes, mas não sem lembranças. A pedagogia griô em Lençóis foi recuperada graças a memória viva de pessoas que não não esqueceram as histórias dos garimpeiros de diamantes e quilombolas, parteiras, rendeiras, benzedeiras, raizeiras, curandeiras, pajés, cordelistas, xamãs, repentistas, congadeiros, mães e pais de santo. #História