Está surgindo um novo "gênero" no universo das histórias em quadrinhos. São os álbuns dedicados aos gigantes da história da pintura, como: Caravaggio, Rembrandt, Picasso, Velásquez, Goya, Toulouse-Lautrec, Van Eyck, Antonello da Messina, Dalí... Graças as grandes exposições artísticas, museus estão pedindo aos desenhistas que a nona #Arte (arte sequencial) tenha algo a dizer sobre a terceira arte (pintura).

O desenhista italiano Milo Manara (69 anos), mestre dos quadrinhos com enredos eróticos da década de 1980 e 1990 (As aventuras venezianas de Giuseppe Bergman,a série Clic,, ...), fã de Caravaggio, realizou a biografia em quadrinhos sobre o pintor italiano.

Publicidade
Publicidade

Serão dois volumes em quadrinhos, publicados pela italiana Panini Comics, pela francesa Glénat e pela brasileira Veneta, que retratam a vida de Caravaggio. O trabalho é escrito e desenhado inteiramente por Manara. Podemos ver Caravaggio entre a paleta e a espada. Manara escolheu uma paleta de cores limitada, semelhante ao que usava o gênio barroco do século XVII, como o chiaroscuro. Ao pesquisar sobre a vida e arte do pintor, Manara descobriu que Caravaggio pintou mulheres com modernidade extraordinária, mesmo sendo mais conhecido pela sensualidade de seus nus masculinos.

O holandês Typex (pseudônimo de Raymond Koot, 53 anos) é outro cartunista que levou um grande pintor para o universo HQ's. Encomendado pelo museu nacional dos Países Baixos, o Rijksmuseum Amsterdam, e publicado com apoio da Fundação Holandesa de Letras, Typex colocou o pintor holandês Rembrandt (2013) em um romance gráfico.

Publicidade

Typex mostra uma imagem humana subjetiva do pintor holandês.

Nicolas de Crécy, David Prudhomme, Etienne Davodeau ou ainda Jiro Taniguchi, vagam pelos corredores do Louvre para trazer histórias que se passaram no museu francês.

Os próximos desenhistas a levar pintores para os quadrinhos serão o americano Joe Sacco, o italiano Tanino Liberatore e o japonês Taiyo Matsumoto. O autor de mangá Katsuhiro Otomo, patrocinado pelo Museu d' Orsay, também criou sua própria coleção de quadrinhos em 2014.

Os grandes mestres da pintura clássica ganham vida através das mãos de cartunistas. Será que os pintores teriam gostado de suas imagens em arte sequencial? Jamais saberemos. O que sabemos é que o público está cada vez mais se interessando pela nona arte assim como públicos do passado admiraram a terceira arte. #Entretenimento #Literatura